Texto principal

ESTÃO ABERTAS AS CAPTAÇÕES PARA OS PLANTEIS DE FORMAÇÃO DE FUTSAL. CONHEÇA OS DIAS DE TREINOS E ESCALÕES, CLICANDO NA FOTO DO LADO DIREITO DESTA PÁGINA.

sábado, 27 de fevereiro de 2016

FUTSAL SUB 20 - JOSÉ SOARES (ZÉ) ANTEVÊ JOGO COM O CAXINAS

Na véspera da deslocação a Vila do Conde para defrontar o Caxinas na terceira jornada da fase nacional, de futsal (sub 20) solicitamos a José Soares, melhor marcador da equipa, para nos apresentar uma antevisão sobre o jogo.

Passados os jogos com os grandes de Lisboa, que o sorteio impôs como primeiros adversários, como a analisas esses dois jogos?

Mesmo que os resultados não tenham sido os melhores, acho que mostramos que temos uma equipa forte e temos um grupo unido, que é muito importante, prontos para esta luta de uma prova muito exigente. 
Nos próximos jogos, vamos tentar conquistar mais pontos, porque da forma que estamos a jogar, poderíamos ter mais alguns pontos, mesmo com os adversários que defrontamos.

Falando jogo com o Caxinas o que esperas deste encontro?

É um jogo como outros, que vamos jogar para ganhar, como sempre fazemos e queremos sair de Vila do Conde com os três pontos. Vamos trabalhar e mesmo sendo um dos adversários mais difíceis que temos que defrontar, estou esperançado na vitória.

Pessoalmente como te sentes?

Sinto-me bem, tenho trabalhado bem e fisicamente estou bem.

O treinador do sporting aposta que o Boavista irá terminar num dos quatro primeiros lugares, com direito a disputar as meias-finais do campeonato. Queres comentar?


O nosso objectivo é esse mesmo. Depois de estar nesse play-off, lutaremos pelo melhor lugar, mas para já, temos que nos focar no jogo de amanhã.

NOVO RECORD DE VISITAS, QUE ULTRAPASSOU AS MIL E DUZENTAS

O "nosso" blogue das Amadoras, bateu todos os recordes,  até aqui estabelecidos.

No passado dia 21, ultrapassamos as 1200 visitas (números oficiais da Blogger). Este dia, coincidiu com o lançamento da entrevista de Mariana Costa, uma jovem Boavisteira de sete costados, que por sua conta teve 576 visitas.

Para nó,s é um número ”enorme de visitas” (só conta uma contagem, por computador diariamente) mas poderia ser muito superior (irá ser) se todos os Departamentos dicidirem apostar com a sua colaboração, na divulgação das noticias da sua modalidade.

Quando todos os departamentos se aperceberem da importância e poder da informação e colaborarem connosco, atingiremos mais de duas mil visitas diárias.

Até lá… insistiremos, porque nunca desistiremos.

Obrigado a todos!

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

VOLEIBOL - AGENDA DESPORTIVA




FUTSAL - AGENDA DESPORTIVA PARA O FIM DE SEMANA





quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

FUTEBOL FEMININO (SUB 19) - PONTO DA SITUAÇÃO DO NACIONAL







FUTEBOL FEMININO - CAMPEONATO DE PROMOÇÃO (PONTO DA SITUAÇÃO)





FUTEBOL FEMININO - TERMINOU A 1ª FASE DO NACIONAL E O BOAVISTA, TRANSITA PARA O GRUPO DA MANUTENÇÃO


Terminou a primeira fase do campeonato nacional da 1ª divisão, com o Boavista, a ser apurado para o grupo de manutenção, ao classificar-se em 9º lugar.


Esse grupo, irá iniciar uma nova fase da competição, com os clubes a "transportarem" para essa prova 50% dos pontos conquistados na fase anterior.

Passamos a apresentar a composição do grupo, que terá uma competição de “todos contra todos” a duas voltas, descendo ao segundo escalão as equipas nos dois últimos lugares. 

Nesta apresentação incluímos (já) a pontuação com que clube inicia esta fase

ATL. OURIENSE 14 pontos
VILAVERDENSE FC 14
FUNDAÇÃO LAURA SANTOS 8
VISEU 2001 5
BOAVISTA FC 4
CADIMA 3

Numa primeira análise, poderemos apostar que os dois actuais, primeiros, estarão fora de qualquer problema de descida, ficando essa luta para as restantes equipas.


Nota-se, actualmente, uma grande subida de forma da equipa do Boavista nos dois últimos jogos, a confirmar-se este panoroma, as panteras terão todas as hipóteses de conseguirem a manutenção no primeiro escalão  nacional

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

ANDEBOL - RESULTADOS DO FIM DE SEMANA



FUTSAL (SUB 20) - COMENTÁRIOS DE JOÃO MARQUES, TÉCNICO AXADREZADO

Para encerrarmos o capítulo do jogo com o Sporting, publicamos a análise do técnico axadrezado, João Marques, que era um homem calmo, mas reconhecendo que o jogo merecia outro resultado.

Como se perde por três golos um jogo que poderia ter terminado empate a meia dúzia de golos?

Antes de mais, devo dizer que se entrasse neste pavilhão após o começo do encontro, pensaria que era um jogo entre Boavista e Sporting a contar para a primeira divisão de seniores. Tal a forma a intensidade, velocidade e qualidade com que o jogo foi disputado. 
Uma primeira parte, super equilibrada, com o Sporting a mostrar os seus argumentos e nós, também, a contrapor muito fortes, com um nulo que contrariava as oportunidades criadas.

Daí o empate ao intervalo?

Sabíamos, que o jogo não iria acabar com o resultado de zero a zero. Defrontaram-se aqui a melhor equipa da zona norte e a melhor equipa da zona sul, da primeira fase e, por isso, havia todos os condimentos para ser um grande jogo.

O técnico do Sporting, afirmou que estas serão duas das equipas da final four e registou aq qualidade do jogo. Mas custou perder?

Como esta intensidade e qualidade, é raro ver na divisão principal. Nós ficamos debilitados fisicamente. 
Quando o resultado era um empate a três, tentamos vencer, permitindo o contra ataque que virou o jogo. Depois a perder e a pouco tempo do final, tivemos que abrir-nos, defendendo diferente do habitual, arriscando tudo para abrir as nossas linhas. O Sporting aproveitou, esse aposta no risco que corremos.

Nas primeiras jornadas o Boavista defrontou os dois grandes de Lisboa e com estes resultados afirmou-se como candidato às meias-finais?

O Boavista, vai em todos jogos lutar pela vitória, sabendo que todos os jogos serão equilibrados e todos muito difíceis. Estão nesta fase as oito melhores equipas de futsal neste escalão, não há como fugir disto. 
Todos os jogos serão intensos e os resultados serão sempre imprevisíveis e decididos nos pormenores. O Boavista estará na guerra até ao último segundo.

Jorge Monteiro, sentiu-se empolgado com o ambiente do pavilhão e disse que com um público deste qualquer clube é grande. E afirmou, o Boavista tem um público extraordinário que o faz ser um grande clube. Na condição de boavisteiro e não de treinador, o que tens a dizer sobre tais comentários?


É a pura da verdade. O futsal e o desporto só é rico quando temos adeptos nos pavilhões. Um pavilhão deserto não nos diz nada. As emoções transparecem e passam também para os adeptos e o ambiente torna-se fantástico. Todos ficamos a ganhar com isso.

FUTSAL - RESULTADOS DO FIM DE SEMANA



segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

A FESTA DO VOLEIBOL, ONDE AS IDADES (JOVENS) SE MISTURAM

Os jogos de voleibol do Boavista, são sempre uma festa da juventude. 

Tendo o Boavista (sénior) muito jovem a cumplicidade com as “minorcas” das equipas de formação é contagiante.

E desde bombos a apoiar as grandes a fotos em família, tudo vale!


Uma família, sem barreiras, ou não sejam todas elas a “GENTE DO AMANHÔ

VOLEIBOL - BOAVISTA ELIMINA O SC BRAGA E FICA A AGUARDAR ADVERSÁRIO PARA NOVA ELIMINATÓRIA


BOAVISTA FC 3 – SC BRAGA 0
25/14, 25/16, 25/18

Tínhamos defendido, que a finalíssima desta eliminatória tinha acontecido no sábado, num jogo épico e impróprio para cardíacos. Vimos isso, confirmar-se ontem, no terceiro jogo entre estas duas jovens equipas.



Sendo a base dos dois planteis, muito jovem, será normal que o estado psicológico tenha sempre grande influência sobre a actuação das atletas.

Foi o que se verificou. Com a moral em cima o Boavista, dominou completamente, um Braga, bem abaixo do que já mostrou durante a época e que tinha demonstrado na véspera,



Foi um jogo, dominado pelas panteras de ponta a ponta, como se pode confirmar pelos números dos parciais.

O Boavista, fica agora, a guardar o adversário para a próxima eliminatória a sair do conjunto Universidade Lusófona/ Ribeirense, para “à melhor de dois jogos” decidirem um finalista do campeonato nacional da 1ª divisão. O outro finalista, saírá do grupo que disputa o campeonato de èlite.



Neste momento, o Ribeirense comanda a eliminatória a vencer a Lusófona por 2/1- esta eliminatória será decidia no próximo fim-de-semana.


FUTSAL (SUB 20) - A ANÁLISE DE JORGE MONTEIRO, ENCANTADO COM O JOGO E O AMBIENTE


Terminado o encontro, escutamos a opinião do técnico leonino, Jorge Monteiro, feliz pela vitória, mas igualmente feliz, pela qualidade do jogo e ambiente vivido.

Sem colocar em causa a vitória do Sporting, na minha opinião, este jogo poderia ter acabado com um empate a oito golos, por exemplo. Concorda com esta visão?

Eu tinha dito, há duas semanas, que se defrontavam aqui, o Campeão Nacional de sub 20, que somos nós e o Vencedor da Taça Nacional de Juniores, que é o Boavista. 
Tínhamos todas as condições para ser um bom espectáculo e acabou por ser, realmente, um excelente espectáculo. Houve, aqui, muitos momentos bons durante o jogo. 
Obviamente, que na parte final do jogo, sobressaiu a nossa condição física.

Foi aí que se resolveu o jogo?

Eu acho que o Boavista, tem uma excelente equipa, repleta de bons executantes, que vai estar na final four, de certeza absoluta.  Nessas meias-finais é que se vai decidir tudo. 
Hoje, não decidimos nada. Sabíamos que vínhamos para um jogo muito difícil, os meus jogadores estiveram muito bem e dou-lhes os meus parabéns.
É num ambiente deste, que eles gostam de jogar, num pavilhão espectacularmente, cheio de adeptos, fervorosos, quentes e  bons, o que é muito bom para a modalidade, acho que acabamos por vencer bem.

Deixe-mo arriscar, mas como homem de futsal que sou, quase me atrevo a dizer que faltam jogos deste na nossa primeira divisão. Estou certo nesta análise?

É uma excelente análise sua. Eu há pouco estava a pensar nisso mesmo. Já vi jogos da Liga Sport Zone, que não tiveram a qualidade que este jogo teve hoje, com diversas acções muito boas. 
Mas, também, temos que pensar que estiveram aqui, talvez, os melhores jogadores de sub 20 da actualidade. Por isso, havia todas as condições para ser um bom espectáculo, nomeadamente, num bom pavilhão para praticar a modalidade com um ambiente espectacular.

Apenas este pequeno incidente…


Isso faz parte, nada de grave aconteceu. Qualquer equipa, que tenha uns adeptos como tem o Boavista tem meio caminho andado para ser campeão

FUTSAL (SUB 20) - CRÓNICA DE UM JOGO ENORME, COM RESULTADO MENTIROSO


BOAVISTA FC 3 – SPORTING CP 6
(0-0)

PAVILHÃO:
Infante Sagres




ÁRBITROS:
Nuno Oliveira, Tiago Queirós (AF Coimbra) e José Oliveira (AF Porto)





BOAVISTA FC

Leonel
Latino
Saraiva
Pedro Rodrigues
Bébe

Banco
Gonçalo
Kingwell
Rubinho
Torres
Amorim
Alheira

Treinador
João Marques

SPORTING CP

Paulo
Alex
Cigano
Afonso
Vitor

Banco
Correia
Gonçalo
Bernardo
Ludgero
Alexandre
Costinha
Varela

Treinador
Jorge Monteiro

DISCIPLINA
Boavista - Rubinho (18), Amorim (29), (Latino 37)
Sporting – Ludgero (30)


Sporting – Varela (36)




MARCHA DO MARCADOR







0-1   Ludgero (22)
1-1   Amorim (26)
2-1 Zé (32)
2-2 Varela (34)
2-3 Ludgero (35)
3-3 Saraiva (36)
3-4 Afonso (38)
3-5 Cigano (38)
3-6 Vitor (39)

Este encontro entre panteras e leões, foi um espetáculo que ultrapassou (em muito) o que é normal assistir-se em jogos do escalão principal de seniores.

Aceitando a vitória do Sporting - materializada nos últimos minutos, mercê de um maior poder físico, que lhe advém de um banco melhor apetrechado e de uma realidade competitiva mais intensa, durante a época – temos que registar que os números são, claramente, exagerados. 

Aceitar-se-ia uma vitória pela diferença mínima,  este resultado, em nossa opinião, acabou por adulterar to
tudo o que se assistiu no Infante Sagres.


Foi um jogo,  para terminar com um empate a oito ou nove golos, ou com a diferença mínima, dentro desses números, mas os dois últimos minutos, tudo alteraram.


Tinhamos uma certa espectativa, para ver "que futsal", o Sporting, iria impor, neste confronto, com o futsal nortenho. 
Esperávamos um futsal de posse de bola e passes curtos, contra um sistema de jogo que o Boavista sempre impõe de velocidade e jogo mais directo. 


Ficamos, por isso, surpreendidos, quando verificamos, que o conceito de jogo imposto pelos dois técnicos foi idêntico.
Daí, resultou um jogo emocionante, jogado sempre em direcção da baliza contrária e sempre com grande velocidade de execução. 
É o tipo de jogo, “que o povo gosta”. Luta com respeito, velocidade e remates,… muitos remates. As oportunidades foram imensas e os guardiões brilharam intensamente.



O público primeiro rendido ao jogo, depois inserido o mesmo ambiente, transformando o pavilhão num verdadeiro espectáculo, que até ao técnico leonino (ver declarações noutra peça) emocionou e encantou.

A primeira parte foi de um equilíbrio total, com uma divisão de oportunidades (ligeiramente superior para os lisboetas) que os guarda-redes, conseguiram extraordinariamente evitar ver transformadas em golos.
A segunda parte, teria que ter golos. Todos sabiam isso, porque não existem milagres no futsal e os guardiões teriam que ceder.

E apareceram. Primeiro por Ludgero, que recebeu um lançamento da sua área e nas costas da defesa rematou cruzado para um excelente golo. Respondeu Amorim, com um excelente remate frontal impondo o empate, quatro minutos depois. O Boavista, viria a dar a volta ao marcador, quando Zé enviou do seu lado esquerdo um míssil indefensável.

O jogo não acalmou… nunca víria a acalmar. O Sporting imita o Boavista, primeiro empatando e de seguida virar o marcador. O empate, surge na resposta a um ataque axadrezado e em contra ataque, Vitor marca. A reviravolta, acontece por intermédio de Ludgero que aparece sozinho na área e não falha.

Aos trinta e seis minutos, Varela vê vermelho directo ao cortar um lance perigoso no seu meio campo defensivo. O Boavista, demorou menos de um minuto a aproveitar a superioridade numérica e empata de novo.
Já ninguém e muito menos os treinadores, conseguiam dizer aos atletas para pararem aquelas jogadas de ataque puro e controlarem a bola, com posse aceitando o empate. 

Disso, foi vítima o Boavista, quando atacava com 3/1 e perdeu a bola, invertendo-se a situação e o Sporting em 3/1 não perdoou, por intermédio de Afonso. 

Os panteras, sentiram o golo e Cigano aproveitou a desconcentração para num remate feliz, fazer de meio campo o golo que matou o jogo. Vítor, no último minuto viria a aumentar a vantagem para o tal resultado mentiroso.

Quando os jogadores, resolvem apenas jogar, os árbitros têm liberdade para julgar bem. Excelente arbitragem

Para terminar esta crónica, colocamos uma questão a todos os intervenientes e público. 

Querem repetir? É que destes jogos é que o futsal necessita.
Parabéns a todos!

Crónica de Manuel Pina Ferreira