Texto principal

ESTÃO ABERTAS AS CAPTAÇÕES PARA OS PLANTEIS DE FORMAÇÃO DE FUTSAL. CONHEÇA OS DIAS DE TREINOS E ESCALÕES, CLICANDO NA FOTO DO LADO DIREITO DESTA PÁGINA.

sábado, 26 de novembro de 2011

FUTSAL - BOAVISTA VENCEU BRAGA

O Boavista venceu o Braga por 4 a 3 em jogo realizado hoje no Viso.
Ainda hoje apresentaremos crónica do jogo e reportagem no final.

FUTSAL - RESULTADOS DA 13ª JORNADA

SL BENFICA 3 – ACADÉMICA COIMBRA 1
AMSAC 4 – LEÕES PORTO SALVO 6
AD FUNDÃO 0 – MODICUS 1
BOAVISTA FC 4 – SC BRAGA 3
BELENENSES 7 – SL OLIVAIS 3
GD OPERÁRIO 7 – GS LOURES 0
SPORTING CP 5 - AR FREIXIEIRO 4

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

TODOS AO VISO - ESTE É O PAI DE TODOS OS JOGOS

VOLEIBOL - ENTREVISTA COM PRISCILA WHARTHON

Priscila Wharton - um sorriso do tamanho do mundo!
Uma aposta no título que lhe falta!
Vamos realizar alguns  artigos sobre as atletas que reforçaram esta época a equipa principal do Voleibol. Iniciamos por Priscila, que regressou ao Boavista para – como nos disse – conseguir um título em Portugal.
Esta atleta é uma mais-valia do plantel, nascida no Brasil onde conquistou vários títulos, veio para Portugal na condição de Profissional de Voleibol.
Actualmente divide a sua paixão pelo jogo com a sua (nova) profissão e não resistiu ao apelo axadrezado para regressar ao Bessa.
Contrariando, um pouco o que é habitual nas pessoas naturais do Brasil, esta jovem, não se mostrou muito expansiva, dando respostas curtas, mas sempre com um sorriso a acompanhar as respostas. Dizem que nem sempre se ri... mas foi uma simpatia falar com a (mázinha do plantel).
Vamos começar pela sua identificação?
Chamo-me Priscila Wharton Filipe, sou natural de S. Paulo.
Há quanto tempo está em Portugal?
Estou entre vós, há oito anos.
Vamos recuar no tempo. Quais os clubes em que jogou no Brasil?
Comecei a jogar no S. Paulo, estive neste clube quatro anos. O mesmo período de tempo estive no S. Caetano.
Voleibol é uma paixão, ou mais que isso?
Mais que isso, fui profissional da modalidade durante grande parte da minha carreira.
Veio para Portugal, para jogar em que clube?
Comecei no Famalicense, passei pelo Boavista, Arcozelo e Espinho. Regressando esta época ao Boavista.
O grupo escutando a táctica para a vitória
Mas na condição de amadora, ou ainda como profissional?
Não, agora não dá mais para o profissionalismo. Tenho a  minha profissão e jogo Voleibol por paixão.
Como se processa o regresso ao Boavista?
Sempre gostei muito do Boavista. Nunca esqueci o ano que joguei aqui, gostei do ambiente e da mística do Clube. Conhecia bem a união entre o grupo e a proposta foi tentadora.
Qual foi a proposta? Podemos saber?
A proposta foi simples… ser Campeã da segunda divisão e subir à primeira. Sempre fui muito ambiciosa e sempre conquistei títulos durante a minha carreira no Brasil. Acontece que em Portugal, isso ainda não aconteceu… por isso, o Boavista oferece-me condições para concluir a minha carreira com um título. Não hesitei.
Então a adaptação à equipa não foi difícil?
Não! (rindo-se) não foi difícil foi muito fácil! Elas são muito simpáticas.
Terminou a primeira volta. Como a analisa?
Está tudo sob controle. Perdemos no AVC que não estava nos nossos planos, mas acho que é ultrapassável. Na outra fase teremos a Lusófona, mas nós as vencemos num torneio, assim considero que estamos no bom caminho e todo está a correr como planeado. Temos que trabalhar com até aqui e o objectivo será alcançado.
Acredita mesmo no título?
Ai sim, sim! É por isso que nós estamos aqui.
Com o treinador que a vai ajudar  a conquistar o título em Portugal
O ano passado jogou com o Boavista?
Sim joguei dois jogos e… perdi ambos (riu-se).
O Boavista está mais forte?
Sim claramente mais forte.
Quais os objectivos, para o Voleibol?
Quero ser campeã em Portugal! Toda a minha vida fui campeã. Em Portugal ainda não consegui esse feito e… quero ser Campeã em Portugal.
Pessoalmente?
Já jogo há vinte anos e está na hora de sair. Quero deixar o Volei, mas quero sair como Campeã!
Qual a sua posição em que joga?
Eu jogo na zona quatro junto às redes.

VOLEIBOL - ANTEVISÃO DE PAULO PARDALEJO



Fonte; Blog do Voleibol

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

A PROPÓSITO DE... DEMISSÃO DO VICE-PRESIDENTE


Nota: Podem ler a carta de demissão em;
http://act-amadoras-boavista.blogspot.com/2011/11/vice-presidente-das-amadoras-apresentou.html

Sinto-me na obrigação de comentar a saída – não explicada- do Senhor Sampaio da vice-presidência das Amadoras. Faço-o,  porque durante um longo período, este senhor – por vontade própria, ou por indicações superiores -  tentou interferir com  minha pessoa  e pessoas minhas amigas, tentando destabilizar e acabar com este Blog.
A arma dos incompetentes, passa sempre pelo lema “se não consegues fazer, tenta impedir que os outros façam”.
A sua saída, não provoca em mim nenhum sentimento,  porque há muito, o deixei de considerar como elemento capaz de conseguir algo de positivo, mas não tenho dúvidas, que o Boavista Futebol Clube, saiu beneficiado.
Não posso, no entanto,  deixar de  tornar pública a minha posição. Colocando simultaneamente,  em causa a sua “carta de despedida” cheia de “falsas verdades”, muita demagogia e de nenhuma explicação para o seu abandono.
Fiel ao que sempre defendi, neste Blog e na rua, não entrarei em pormenores que poderiam colocar em causa o Bom Nome do Boavista. Aprofundarei alguns pontos como resposta ao que o senhor Sampaio foi dizendo – ou mandado dizer – durante uns tempos.
1.       Fala de trinta e quatro Modalidades!!! Chama à ginástica, oito ou nove modalidades, confundindo, especialidades da modalidade, com a própria modalidade. Neste número engloba (algumas) que mais não passam de organizações de amigos a quem o Boavista emprestou o nome, mas não diz as condições, por exemplo, em que trat(ava)ou o Rugby e o Hóquei em Patins.
2.       Pessoalmente, entendo, que uma Modalidade - em qualquer Clube – só lhe pertencerá se for gerida e controlado por esse Cube e não por um conjunto independente de amigos.
3.       Orgulha-se de coisas que não fez, como se as tivesse feito com total êxito. Vejamos alguns pormenores:
ANDEBOL
a.       Diz que construiu a equipa  Sénior de Andebol, quando na realidade ela foi formada pelo Director do Departamento e os jogadores que estavam de saída da equipa júnior e não viam futuro desportivo, querendo continuar de xadrez ao peito.
b.      Mesmo assim, essa equipa só existe, porque o Dr. Eduardo Matos, Presidente da Comissão Administrativa, pagou na última hora do último dia a inscrição do Andebol do Boavista, que seria nesse dia expulso da Federação Portuguesa de Andebol!
c.       Mesmo assim, não acrescentou na sua carta, que nunca apoiou esta equipa. Os seus atletas é que pagavam a sua alimentação e numa deslocação ao sul, foi um dos “inimigos” do Boavista (como o senhor Sampaio, chamava) que pagou a alimentação. Servi de intermediário nessa situação.
d.      Nunca referiu que essa equipa fez um campeonato com camisolas diferentes entre eles (umas tinham publicidade, outras não)  porque o senhor Sampaio nunca se apercebeu que esta equipa não tinham um conjunto de camisolas.
FUTSAL
a.       Orgulha-se de ter visto, no seu mandato, a equipa de Futsal Juvenil de ser Campeão Nacional, esquecendo-se de dizer que “não conseguiu”  ter tempo de representar o Boavista FC no dia da final em Nelas, para receber o troféu. Deixando o Delegado da FPF sem um Dirigente  do Boavista a quem entregar esse troféu.
b.      Ainda esta época, aquando da deslocação aos Açores, desta mesma equipa, não teve tempo para falar com os jogadores – ao contrário do Senhor Presidente, que foi várias vezes ao pavilhão – nem fez nada de positivo, para colaborar na viagem a Angra do Heroísmo.
c.       Esta equipa, só esteve na final, porque a Associação de Amigos , deu uma grande quantia para as viagens aos Açores e pagou a deslocação ao Seixal.
d.      Com o  trabalho realizado pelo senhor  Sampaio, os jovens ainda estariam… em terra.
BLOG
a.       Falhou no mínimo, por três vezes, ao tentar acabar com este Blog.
b.      Primeiro ao determinar – por ordem através de mail –a todos os Directores ao proibir que falassem comigo, dizendo que eu era uma pedra de arremesso!  Essa posição salazarista, não produziu efeito, porque o respeito que os Directores lhe tinham era nulo!
c.       Depois tentou utilizar a Boa-fé de um Grande Boavisteiro, Paulo Correia, que não sendo tão cego como o senhor Sampaio pensava... descobriu o que se pretendia.
d.      Enviou por várias vezes, comentários ofensivos dirigidos a pessoas – essas sim, Boavisteiras que sempre serviram o Clube – para este Blog.
E fico-me por aqui…
O senhor Sampaio, passou pelo cargo de Vice-Presidente, como raposa por Vinha dizimada! Nada fez!
Quis estar sempre junto ao poder, quis pertencer ao sistema.  Nunca foi capaz de dar um murro na mesa, nunca defendeu as Amadoras.
Porquê?
Por medo?
Por cumprir determinações superiores?
Isso, ninguém percebeu, e ele – mesma na hora da saída – não conseguiu explicar a ninguém.
O  facto, de nunca se ter instalado no lado “pobre” do Bessa, onde vivem as Amadoras, foi significativo e desde o principio mostrou que uma “nova era” tinha começado nas Amadoras. Lamentavelmente… mudou para pior!
Parafraseando, Afonso Albuquerque (Vice-rei da India) o senhor Sampaio deu-se mal com as Amadoras por amor ao sistema e acabou abandonado pelo sistema por causa das  Amadoras.
Termino, este meu (leve) comentário, lembrando ao senhor Sampaio que todas pessoas que tentou ofender, quando saíram do Boavista assumiram  e ainda assumem,  publicamente as razões da sua saída do Clube.
O senhor, mostrou de novo a diferença… não consegue assumir!
Como me disse, ontem, um dos Directores do Boavista “ há maças que são arrancadas da macieira, outras caem de podre”.
Seria bonito senhor Sampaio, que assumisse qual foi a sua posição! Tudo perfeito, lucros aos montes, etc… e sai? Arrancaram-no ou caiu?
Seja feliz senhor Sampaio!
O Boavista, (amadoras) ficaram melhor com a sua saída.
O senhor nunca pertenceu às Amadoras!
Passou sempre ao lado!
Quanto a mim, devo confessar-lhe… foi-me indiferente!
Manuel Pina Ferreira

VOLEIBOL - INICIADAS

Carolina Passos, vai voltar aos treinos na próxima semana após ter recuperado da lesão do joelho esquerdo, contraída num treino.

VOLEIBOL - TODOS AO PÊRO NO DOMINGO

VOLEIBOL - PAULO PARDELEJO ANALISA A PRIMEIRA VOLTA

Terminada a primeira volta da primeira fase do campeonato, decidimos, ser a hora de ouvir a opinião do técnico axadrezado, Paulo Pardalejo.
Qual a análise que faz desta primeira volta?
Faço uma análise muito positiva. Perdemos um jogo em Viana com o AVC por algum demérito nosso, mas também com muito mérito do adversário, mesmo assim, considero que não estivemos ao melhor nível.
O que espera para a segunda volta, que se inicia no Domingo?
Em primeiro, espero conseguirmos fazer melhor que nesta primeira.
Qual o objectivo. Passar à segunda fase ou ficar em primeiro classificado?
É importante terminar esta fase em primeiro lugar, até porque os pontos que conseguirmos nesta fase, serão reduzidos para vinte por cento e assim quantos mais pontos conquistarmos, em melhor posição ficaremos para a segunda. Para conseguir esses pontos é óbvio que subiremos na tabela.
Então há  uma aposta em vencer  todos jogos?
Se queremos fazer melhor… e se na primeira volta só perdemos um jogo… mas temos que ter a consciência das dificuldades, porque nesta fase está um campeonato muito competitivo.
Não considera,  que levarem para a segunda fase vinte por cento dos pontos, quando as duas séries podem ser desequilibradas,  pode ser injusto ou prejudicial?
Poderá ser um pouco injusto, porque na série sul há duas equipas que se destacam e poderão conseguir melhor pontuação, dado que aqui no norte há muito mais equilíbrio.
Por outro lado, se aqui há mais luta e equilíbrio até os resultados são mais equilibrados, lá em baixo os resultados de três a zero são normais, logo aqui, há mais competitividade. Na segunda fase, os do Sul podem trazer mais um ou dois pontos, mas os do Norte levarão mais poder competitivo e isso, acaba por equilibrar as coisas.
Não está preocupado com isso?
Absolutamente nada!
A equipa está mais forte! É fruto dos reforços ou do trabalho do passado?
Isto é um trabalho que se tem desenvolvido há três épocas para cá. Vamos mantendo a mesma estrutura, vamos reforçando todos os anos um bocadinho. As pessoas que chegam, são mais valia e em conjunto, formam um grupo muito forte que após oleado e mecanizado continua a evoluir.
 

COMENTÁRIO À DEMISSÃO DO ( EX)VICE-PRESIDENTE

Tantos projectos, tantos sucessos, excelentes perspectivas, previsão de excelentes lucros, tanto orgulho e honra por estar por dentro deste Clube, tantos elogios, então porquê a demissão caro José Chalupa?
 
A.Marques  (ex-Vice-Presidente das Actividades Amadoras)   

Coloco a mesma pergunta, se tudo está tão bem, porque se demite o Senhor José Chalupa?
Na carta que enviou nada diz de concreto e fala - considerando que todos os Boavisteiros, andam alheados do seu Clube. tanta demagogia!
Trinta e quatro modalidades? Senhor ex-Vice a Ginástica é só uma modalidade desportiva - composta por várias especialidades - e não oito ou nove Modalidades.
Mas porque não explica as condições em que treinam os atletas do Hóquei?
E termino como comecei, Porque se vai embora se teve tanto êxito e tudo está tão perfeito?

Nota: Farei um comentário pessoal sobre esta demissão de um Homem que passou ao lado das Actividades Amadoras do Boavista FC.

Manuel Pina Ferreira


VICE-PRESIDENTE DAS AMADORAS APRESENTOU A DEMISSÃO

O Vice-Presidente das actividades amadoras, José Chalupa Sampaio apresentou a demissão do cargo que desempenhava, sem explicar publicamente qual a razão para tal decisão.
Transcrevemos na integra um carta que tornou pública. apresentando o nosso comentário em peça pessoal e separada.
Eis a carta:                                                                                        

"Passados pouco mais de dois anos, após as últimas eleições no Clube, assume particular importância a palavra ganhar, no âmbito de um trabalho com grande rigor estratégico.
Ganhar aqui significa dar a importância devida a duas linhas de orientação que têm marcado o nosso trabalho nas "Modalidades Amadoras". A saber:

Na primeira, uma promessa eleitoral (Presidente da Direcção), tudo fazer para manter intactas todas as Modalidades, o que foi conseguido em quase 100%, ficando a Natação como única excepção. No entanto, até aqui, está projectada a sua reabertura para o próximo ano, tal como fizemos com o Judo (Directora Profª Sara Monteiro) já no decorrer desta época.

Assim, obtivemos até, um reforço das modalidades e, das condições já existentes, com a reabertura do escalão sénior de Andebol (Director Prof. António Santos e Dra. Cristina Almeida), a abertura do novo ginásio de Boxe (Director Prof. Carlos Caldas), o reforço do Futebol Feminino com o lançamento das Panterinhas (Técnica Fernanda Silva) e, já esta época, uma equipa de sub-17 (Director Paulo Moura). Mais recentemente, a criação de uma equipa de Futsal para invisuais, a primeira a nível nacional, no âmbito do Departamento DDA (Director Álvaro Durães). 

Na segunda linha de orientação, mais ligada, a uma estratégia de desenvolvimento do que de consolidação e, contrariando todas as expectativas de mercado em que o País se encontra, projectamos o número de modalidades de 19 para 34 (ver aqui). Este esforço é tanto mais significativo se contarmos que ele inclui um aumento do número de praticantes acima dos 50% no curto prazo.
 
Convém aqui afirmar que o compromisso para esta época de 34 modalidades, é feito na envolvente de uma gestão rigorosa e independente dos recursos financeiros do clube, possibilitando até a criação de alguma receita extra, o que não deixa de ser ainda mais significativo.
 
Ainda nesta linha de orientação e, como afirmei na minha primeira comunicação, neste mesmo blogue, estamos (Directora Profª Sara Monteiro) em fase terminal de obra para inaugurar um 5º ginásio e, preparamos a abertura do ginásio 6 (Israeli Krav Maga), o que nos vem permitir consolidar esta estratégia de aumento de modalidades, como também e, não menos importante, um aumento significativo na qualidade de trabalho, quer da Ginástica Rítmica, quer da Ginástica Artística. Apostamos assim num novo ciclo de 4 a 5 anos para o lançamento de uma fornada de atletas com ambições ao mais alto nível no principal campeonato português, contrariando novamente a tendência dos últimos anos da Ginástica, cada vez mais "presa" na qualidade e desenvolvimento dos seus Adversários.

Reforçamos assim a qualidade de trabalho do Departamento de Ginástica, como fundamentalmente, travamos a tendência de perda de mercado em que esta importante Modalidade se encontrava.

Não esquecer que a Ginástica é o principal suporte das Modalidades do clube e, por essa razão, tem nos últimos anos tido um papel quase miraculoso de apoio e simultaneamente de subsistência.

É por essa razão fundamental a sua defesa e, a sua colocação em patamares de competitividade, que a nível nacional neste momento, já pouco ou nada devem aos melhores, pois também ao nível do quadro de professores foi feito um esforço significativo.

Acreditamos que se mantiverem os parâmetros de gestão e independência até agora utilizados, esta Modalidade, será um caso cada vez mais ímpar dentro do Clube mas também a nível nacional. Acredito que se a actual equipa de trabalho se mantiver tal será uma realidade.

Ainda e, no âmbito destas estratégias, consolidação e desenvolvimento, um sonho; o primeiro e grande sonho das Modalidades, um Pavilhão. Apresentamos (em estreita colaboração com o Director Prof. Nuno Gramaxo e a Directora Profª Sara Monteiro) a esta Direcção, um projecto que passa pelo desenvolvimento da formação no Rugby. Comparando com outro Clube aqui mesmo ao lado e, orçamentando por baixo, prevemos um lucro em três anos de cerca de 200 mil euros. Esta verba se correctamente utilizada, mais os apoios que podem advir da motivação de ver este sonho acontecer, permitem no segundo ano do projecto, o mais tardar, o arranque destas obras. Dependendo depois, da cadência do mesmo, esta obra estaria concluída em 3/5 anos.

Claro que esta realidade depende em muito da importância que se vier a dar ao Projecto Rugby e, em simultâneo, nunca menos importante, à própria Modalidade dentro das instalações do clube. Razão pela qual venho insistindo que esta, equipa principal, passe a jogar definitivamente no nosso Estádio, à semelhança do que fazem outros grandes clubes europeus, com estádios e, marcações para as duas modalidades, Futebol e Rugby. Não esquecer que esta modalidade está em fase de grande expansão e, na Cidade do Porto, não existe neste momento, qualquer campo de rugby.

Ficam assim lançadas as raízes para um projecto que tudo tem para se tornar realidade, dependendo unicamente da vontade desta e da próxima Direcção.

Não posso deixar de referir aquela que foi e, é, uma das nossas grandes apostas, um blogue das modalidades, independente, actual, moderno, positivo e, virado exclusivamente para o que de bom o Clube tem, deixando sempre passar uma imagem de um Clube unido e virado para o futuro. Um excelente trabalho da Catarina.

Foi um orgulho e uma honra ter estado por dentro deste Clube. A todos, um obrigado pela cooperação e, também, porque não, pela lealdade demonstrada.

Vivam as Modalidades Amadoras
Viva o BOAVISTA,
José Chalupa Sampaio

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

VOLEIBOL - SENIORES (PONTO DA SITUAÇÃO)


Terminada a primeira volta da primeira fase, o Boavista está já com  a sua posição (praticamente) assegurada.
em cinco jogos venceu quatro  e tem seis pontos de avanço sobre o quarto classificado, como se poderá verificar na classificação que apresentamos.
Recordamos que nesta fase são apurados os três primeiros para a fase nacional.

FUTSAL - INFANTIS EM IMAGENS


Fotos de Paulo Correia

VOLEIBOL - SENIORES EM IMAGENS


Fotos de Paulo Correia

AGENDA DESPORTIVA

Já se encontra completa a Agenda desportiva para o próximo fim de semana que deve ser visitada clicando sobre a foto do lado direito desta página.

SITE PARA O FUTSAL




Para melhorar a imagem do futsal do Boavista FC está em construção (adiantada) de um Site para toda a modalidade.

Este Site estará brevemente, activo e desse facto daremos informação. Neste momento encontra-se em regime experimental.
 
Tivemos o prazer de ser convidados para ser o Editor do escalão sénior deste novo site

terça-feira, 22 de novembro de 2011

FUTSAL - ALBERTO MELO COMENTA EMPATE

Alberto Melo, treinador axadrezado, deu a sua opinião sobre o empate com o GS Loures, não se mostrando satisfeito com o resultado final.
Finalmente um resultado positivo, fora de casa. Como o analisas?
  Primeiro não o posso considerar positivo. Com o domínio que tivemos em todo o jogo, este jogo deveria ter terminado com uma vitória nossa e por números dilatados. Um empate é um resultado menos mau.
Então o que se passou?
Uma vez mais perdemos golos em série, muitas vezes conseguindo o mais difícil que foi não… marcar. Sem qualquer exagero, posso dizer que aos cinco minutos, poderíamos, melhor dizendo deveríamos estar a vencer por quatro ou cinco golos. Ainda mais grave, foi que numa perda de bola sofremos um golo.
O Boavista andou sempre atrás do prejuízo. Marcando sempre em resposta e nunca ganhando vantagem. Como explicas?
Não compreendo sempre que sofríamos um golo, recuperávamos mas depois voltávamos a falhar golos certos.
E empatas no último minuto…
Sim depois de sofrer o quarto golo tivemos que arriscar com guarda-redes avançado e num livre de dez metros conseguimos o mínimo que podíamos, mas que nada me satisfez. Sabíamos como jogava o adversário, não nos confundimos com a sua aposta de jogar nos seus vinte metros, tomamos conta do jogo, assumimos o jogo, só não conseguimos concretizar em golos um jogo que deveríamos ter vencido por muitos

ANDEBOL - SENIORES EM IMAGENS


Fotos de Paulo Correia

FUTSAL - JUVENIS EM IMAGENS


Fotos de Paulo Correia

FUTSAL - NOVO REFORÇO CONTRATADO



Edivaldo, chegou a acordo com o Boavista e será inscrito hoje pelo Clube, sendo um regresso às cores axadrezadas.

Este pivot, jogava actualmente na Académica de Coimbra e é um reforço de Inverno para ajudar na recuperação do Boavista.

Com a sua inscrição a ser confirmada hoje, o novo jogador axadrezado poderá ser utilizado no próximo Sábado no jogo com o Braga.

FUTSAL - VIDEO DO JOGO COM O GS LOURES


Vídeo realizado por Diogo Batista

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

FORA DE JOGO

O GOLO DO ANO...
ANULADO (MAL)
AFINAL NÃO É SÓ CÁ QUE OS ÁRBITROS....

VOLEIBOL SENIORES - CRÓNICA DO JOGO












Clique para ampliar
Fonte;  Blog do Voleibol

FUTEBOL FEMININO - SUB 17

Clique para ampliar

FUTSAL - RESULTADOS DO FIM DE SEMANA

Clique para ampliar

VOLEIBOL - RESULTADOS DO FIM DE SEMANA


Clique para ampliar

ANDEBOL - RESULTADOS DO FIM DE SEMANA

Clique para ampliar

DESPORTO ADAPTADO - FOTOS






DESPORTO ADAPTADO - FUTSAL

APC   LISBOA 4 – BOAVISTA FC 1

Escutamos a opinião do Treinador axadrezado, Fernando Oliveira, sobre o jogo com os campeões nacionais.

Como decorreu este jogo que já se aguardava como difícil?
O  jogo  esteve  equilibrado  na  primeira  parte. O  Boavista  esteve  em  bom  nível  controlando  as  ofensivas  constantes  da  Equipa  adversária, e  contra-atacando   sempre  com  perigo  para  a  baliza  adversária. Mesmo assim os lisboetas atingiram o intervalo a vencer por dois golos sem resposta.

Depois do intervalo a equipa esteve melhor?
Na  segunda parte  tentámos  dar  a  volta  ao  Jogo, isto  é, vencer. Conseguimos  reduzir  para  2-1. O  Boavista   ganhou  ânimo e passamos a pressionar  nas  bolas  de  saída  da  equipa  adversária , não  deixando  Lisboa  fazer  a  circulação  de  bola  e  começamos  a  dominar  o  jogo,  mas  numa  jogada  de  sorte  de  Lisboa,  um  remate  á  nossa  baliza  que  Jordi  defendeu  e  no  ressalto  marcaram  o  3-1.

O jogo ficou decidido?
Até  ao  final,  continuámos  a  dar  tudo  para  vencer  o  jogo,  mas  também por  falta  de  sorte  nossa,  não  conseguimos  marcar  e  sofremos  a terminar  o  jogo  o  4-1.

Lisboa acabou por vencer com justiça?
O  resultado  aceita-se  pois  a  equipa  de Lisboa  é  sempre  a  candidata ao  título  e  tem  uma  excelente  equipa, acabando  por  merecer a  vitória.

Parabéns  aos  nossos  ATLETAS  que  mais  uma  vez  souberam  honrar as  Camisolas  e  o  Bom  Nome  do Boavista.

CONSTITUIÇÃO DO  BOAVISTA F.C.
JORDI, ÁLVARO, BRUNO, BOGAS e FERNANDO
Jogaram ainda;
RUI CRUZ e PEDRO

domingo, 20 de novembro de 2011

FUTSAL FORMAÇÃO - REULTADOS DE SÁBADO


Fonte ; Blog do Futsal Formação

FUTSAL - CRÓNICA DO JOGO

EMPATE COM SABOR AMARGO!
QUEM NÃO CONCRETIZA... NÃO PODE GANHAR

GS LOURES 4 – BOAVISTA FC 4
Ao intervalo (2-1)

Pavilhão Paz e Amizade em Loures
CONSTITUIÇÃO DAS EQUIPAS

ÁRBITROS:
Ruben Guerreiro e Rui Pinto AF Algarve



GS LOURES
ANDRÉ, DÁRIO, SERGINHO, DAVID E PAQUETE
Jogaram ainda;
MINGO, LUMBU, MAJOR, SIDNEY e FILIPE



BOAVISTA FC
BUFFON, IVAN, MIGUEL, RIC. SANTOS e PEDRO SILVA
Jogaram ainda;
MACIEIRA, NUNO, FÁBIO, ORLANDO, SÁ PINTO e TEIXEIRA


DISCIPLINA
Nada a assinalar

MARCHA DO MARCADOR
1-0 PAQUETE (7)
1-1 FÁBIO (10)
2-1 MAJOR (19)
2-2 SÁ PINTO (23)
3-2 DAVID (29)
3-3 IVAN (30)
4-3 PAQUETE (38)
4-4 RICARDO SANTOS

A definição do futuro do Boavista neste campeonato passa(va) pelos resultados dos três jogos imediatos. Dois em casa e este em Loures nos quais os axadrezados defrontam adversários em luta directa pela manutenção.

Considerando este jogo, como disputado em terrenos alheios e se a isso juntarmos o facto de o Boavista ter conseguido o seu primeiro ponto fora de casa, o empate de Loures parece positivo, mas isso, é simplesmente uma ilusão para a quem a ele não assistiu.

Poderão as panteras ter conseguido evitar um mal maior ao conseguir a divisão de pontos no derradeiro minuto, mas não apaga em nenhum elemento axadrezado o amargo sabor de um empate com claro sabor a derrota.

Começou forte o Boavista, apostando no ataque continuo sem se surpreender com a postura defensiva e expectante do Loures. Acontece (quantas vezes tem acontecido?) que com a mesma facilidade que construía situações de golo, o Boavista as desperdiçava inglória e inexplicavelmente. Ao invés de um resultado de três ou quatro golos de vantagem nos primeiros seis minutos de jogo, o Boavista via o Loures conseguir um golo no seu único ataque, aproveitando uma perda de bola.

Não demorou muito esta vantagem pois a resposta foi rápida e o empate foi logicamente conseguido. Só que… tudo voltou ao início, isto é, Boavista dominando o jogo criando e desperdiçando situações de golo, passando ao lado de uma goleada apenas e só, pela inoperância ofensiva de concretizar tantas situações, algumas delas sem guarda-redes na baliza do Loures…
Inacreditável? Talvez! Mas para agravar a situação os sulistas voltavam à vantagem antes do intervalo.
O Boavista apostou na ofensiva, primeiro procurando o prejuízo para inverter o jogo. Demorou três minutos a estabelecer novamente o empate (injusto), mas após essa acção… tudo se repetiu. O Boavista bloqueava ao procurar a vantagem e parecia condenado a só marcar em resposta ao adversário.
Curiosamente o Loures voltaria a marcar e de novo, no minuto seguinte o Boavista igualou. Fácil ao recuperar da desvantagem, incapaz de conseguir a vantagem, foi esta a sina da pantera ontem.
Se não há duas sem três… este jogo mostrou que não três sem quatro! Pela quarta vez a dois minutos do fim o Loures conseguia aproveitar balanceamento do Boavista para conseguir (pela quarta vez a vantagem), conseguindo transformar uma possível goleada (sofrida) na hipótese de uma vitória!
Alberto Melo, teve que arriscar tudo na procura do empate (irónica situação para quem dominou um jogo inteiro) e viu no último minuto, num livre de dez metros a igualdade surgir, depois de ter adiantado o guarda-redes desde que sofreu o quarto golo.
O jogo terminou de imediato, com todos (quase) felizes. O Loures porque conseguiu transformar uma goleada de uma (possível) diferença de seis/sete golos para uma igualdade. O Boavista porque acabou por evitar uma derrota…
É obvio e é uma verdade de “La Palice” mas quem não marca não pode ganhar. Ter que criar oito nove oportunidades para marcar um golo, sinceramente… não chega! Não dá!
Os dois próximos jogos são em casa e só um resultado pode ser possível… ganhar ambos! Mas é necessário aproveitar (pelo menos) um terço das oportunidades que se criam.
A arbitragem esteve certa, sem precisar de actuar disciplinarmente e não teve qualquer culpa dos erros ofensivos axadrezados.
Crónica de Manuel Pina