Texto principal

VISITE A POLÓNIA, COLABORANDO COM AS AMADORAS DO BOAVISTA FC. Programa da viagem: Datas; 22 a 25 de Junho de 2017 Itinerário Varsóvia / Cracóvia Catedral de são João, Catedral de Wawel Igreja de Nª Srª na Praça de Mercado Mina de Sal em Wieliczka Auschwitz e Auschwitz-Birkenau.OBTENHA INFORMAÇÕES ATRAVÉS DO DEP. COMERCIAL DAS AMADORAS, OU PELO TELEFONE 914563233.

terça-feira, 30 de junho de 2015

BILHAR - DEPARTAMENTO ENTREGOU O TROFÉU DO TÍTULO NACIONAL CONQUISTADO


Em cerimónia simples mas significativa, o Director do departamento de Bilhar, José Alberto acompanhado pelo capitão de equipa, Diogo Pinto, deslocaram-se ao Estádio do Bessa para fazerem a entrega oficial, do troféu de Campeão Nacional da Terceira divisão, da variante de "Pool Português".




O acto, aconteceu no gabinete da vice-presidência. O Boavista Futebol Clube, foi representado pelo Vice-presidente das Actividades Amadoras, Eng. António Marques, o Director adjunto, Carlos Alves dos Santos, a Directora Coordenadora das Amadoras, Sara Monteiro e o Director de Comunicação, Manuel Pina.

GYMNAESTRADA, A ENTREVISTA CONJUNTA DOS DOIS RESPONSÁVEIS, JOSÉ BASTO E ISABEL BARROS

José Basto, é o responsável pelo grupo de Gymnaestrada do Boavista. Um apaixonado pela modalidade, nascido em Madrid, Lisboeta pela sua formação humana e educacional e tripeiro, por adopção. Um homem do mundo, amante da natureza e muito convicto dos seus ideais.
Foi com ele que iniciamos uma entrevista, á qual, sensivelmente a meio se juntou, a técnica do grupo Isabel Barros Barreira.
José Basto, começou, como seu timbre… falando pausadamente e medindo as palavras, mas com o passar do tempo foi-se libertando, pelo entusiasmo do seu grande amor…  à Gymnaestrada.

Quando começou a sua actividade no Boavista?

Este grupo, foi constituído por volta de 1990. Foi uma ideia que eu trouxe de Lisboa, cidade onde vivia. Cheguei aqui, queria fazer ginástica e fiz, pertencendo uma classe de manutenção. Nessa altura, perguntei. Então vocês não vão à Gymnaestrada? A resposta a esta pergunta, foi… que é isso de Gymnaestrada?

E eu, coloco essa mesma questão. Que é isso de Gymnaestrada?

O nome é derivado de “Gymno”, de ginástica e “strada” derivado de estrado, palco de exibição e não como erradamente, muitos interpretam como estrada. Portanto, é uma exibição de ginástica.

Quando começou a ser atleta de Gymnaestrada?

Eu já tinha ido à edição da Dinamarca, em Herning, quando fazia ginástica no Sporting. Quando me desloquei para viver no Porto, passei a fazer ginástica no Boavista. A partir daí passamos a participar em todas as edições da Gymnaestrada.

Resuma, em que consiste cada edição?

A Gymnaestrada, é um festival mundial, que se realiza de quatro em quatro anos, e que por acaso, tem sido sempre na Europa, mas para os quais, vem gente de todo o mundo. Na totalidade de presenças em cada edição, chegam a estar entre vinte a vinte e cinco mil pessoas, ou seja , o dobro do número de atletas que participam nos Jogos Olímpicos.

Tenho conhecimento que a próxima edição será no mês de Julho. Qual a cidade?

A edição deste ano, será em Helsínquia, de 12 a 18 de Julho e uma vez mais, estaremos presentes a representar o Boavista.

Existe alguma especialidade/variante que seja obrigatória nas exibições de cada grupo?

A especialidade da Gymnaestrada é aquilo a que antigamente se chamava, ginástica geral e que agora se chama ginástica para todos. Ou seja, podemos escolher várias vertentes gímnicas, desde, Dança, Acrobática, Folclore, Aeróbica (todas as especificidades temos no nosso grupo). Juntamos várias interpretações musicais. Interpretamo-las convenientemente e  e apresentamo-la em conjunto. No fundo, isto é um grupo de exibição e a ginástica que é apresentada, tem que ser sempre uma ginástica de grupo. Não há exibições individuais, não há medalhas, não há classificações, não há nada mais que mostrar ao mundo, aquilo que sabemos fazer. Participam nestas edições pessoas de tenra idade, como por exemplo, de quatro anos, até pessoas com oitenta ou noventa anos.

Essa diferença etária existe no grupo do Boavista?

Sim. No nosso grupo, temos uma menina com nove anos e uma senhora com setenta  e sete anos.

Qual o número de atletas que compõem o grupo do Boavista?

O nosso é composto por trinta e três pessoas, mas só vamos deslocar a Helsínquia trinta atletas. As pessoas que ficam em Portugal, não se podem deslocar por razões particulares.

Quem trata da organização e logística, quer das deslocações, do alojamento e da organização da prova?

Todos os ginastas têm que estar filiados nas suas federações de ginástica. Nós estamos filiados na Federação de Ginástica de Portugal. A organização da Gymnaestrada, é de responsabilidade da Federão do país organizador, sob a égide da Federação Internacional de Ginástica.

Em que edições o Boavista já participou?

Já fomos em 1991 a Amesterdão, em 95 a Berlim, em 99 a Gotemburgo, em 2003 foi em Lisboa e foi curiosamente a edição com maior número de participantes. Em 2007, foi em Dornebirn na Áustria. Em 2011, foi em Lausanne na Suíça e este ano será em Helsínquia.

Para esclarecer os nossos leitores, pergunto quem assume as despesas?

Todas as despesas são de nossa responsabilidade, cada atleta do grupo paga a sua parte. Para este efeito, vamos cotizando durante o tempo de intervalo entre edições, um valor para permitir que cada pessoa tenha na altura, o valor necessária para se deslocar ao evento. Para lhe dar um exemplo, nós este ano, para além das nossas duas exibições, teremos que estar presentes na noite Luso/brasileira. 
Em todas as edições cada país organiza uma gala. Este ano, Portugal e Brasil, farão uma gala conjunta. Por causa disso, tivemos que realizar vários treinos. Já nos deslocamos ao Bombarral e Lisboa e participamos no Festival Nacional de Ginástica que se realizou em Loulé. Tudo isto, é pago por nós.

Neste caso, a ligação ao Clube, é quase autónoma…

O Boavista ajuda, com as filiações, cedências de instalações, seguros e toda a parte burocrática.

Nesta fase da nossa conversa chegou a técnica do grupo, professora Isabel Barreira, que deu desde logo uma “ajuda” entrando na conversa que passou a três…

Como em qualquer classe de ginástica, as despesas ficam a cargo dos pais. Naturalmente, os adultos assumem as suas despesas.

Quantos treinos realizam por semana?

Rigorosamente, treinamos uma vez por semana. Quando há Sarau ou exibições e quando sentimos a necessidade mais preparação, aumenta-se o número de treinos para duas vezes por semana.

É habitual a participação do grupo nos Saraus do Boavista?

Participamos sempre, mas deste feita, não iremos participar porque as datas do Sarau do Clube e edição de Helsínquia se sobrepõem.

Há muitos clubes, de gymnaestrada em Portugal?

 Há muitos, mesmo muitos clubes com esta modalidade no nosso país.

 Esta modalidade está aberta a todas as classes de ginástica, é óbvio, que não sendo uma classe de competição, como por exemplo, a Ginástica Artística, tem um problema que é a questão dos aparelhos. 
A especificidade da área gímnica, acaba por ser limitada. Mas a Acrobática já não, a Rítmica também não. Mas depois, tudo fica condicionado aos orçamentos familiares, para se participar nas edições e saraus anuais. 
No fundo, sabemos que trabalhamos durante quatro anos para preparar e enfrentar as despesas para estas saídas. Sabemos que existem exibições regulares, mas acontecem durante o ano, vários convites, aos quais só vamos se estiverem dentro do orçamento que idealizamos.

Deixem-me colocar uma questão conjunta. Quando existe competição, o atleta treina com o objectivo de obter resultados. No vosso caso, sendo só exibição, em que se baseiam para manter o hábito do treino?


O Basto, melhor que eu pode responder a isso, que anda há muito mais anos que eu neste processo, no entanto, eu acho que a grande definição deste género de classes, é o gosto de praticar ginástica e o convívio que têm uns com os outros.

A primeira vez que participei foi em 1987. A minha experiencia diz-me que a primeira vez, que se participa numa Gymnaestra, integrado numa comitiva nacional, que em média, é composta por mil e duzentos e já chegou a ser de mil e oitocentos atletas, que se deslocam a uma cidade da Europa e encontram vinte mil pessoas de todo o mundo e não tendo a pressão de obter qualquer medalha, do tempo, do objectivo, do alcançar, como nos jogos Olímpicos, uma pessoa sente-se no paraíso. É um paraíso Gímnico e convívio com pessoas de todo mundo e de todas as idades.

Compreendendo que pessoas com uma idade mais avançada, sintam isso, mas o que leva uma jovem a entrar nesse mundo, sabendo que não conquistar nenhuma medalha? Quem a leva a tomar essa opção?

Nenhuma menina que anda nesta classe, anda obrigada. Experimentaram, gostaram e ficaram. Algumas delas, andam simultaneamente em classe de competição e conseguem conciliar as duas especificardes e tempos de treino. Acho, que elas gostaram da experiência de associar a ginástica ao convívio e prazer.

É curioso ver que estamos a falar de sete meninas com idades dos sete aos catorze anos, que convivem com uma facha etária com muito mais alta. Acho que metade da classe tem mais de quarenta e cinco anos.

O prazer, que sentem nas exibições públicas, também o sentem nos treinos diante todo o ano?

Sendo somente um treino semanal, temos que sentir essa alegria e prazer. Mas também temos que potenciar o treino. Até porque o currículo de aprendizagem nestas idades, não é igual para todos. Há uns que aprendem mais rápido, outros com mais dificuldades e tem a ver com a coordenação e eles gostam de fazer bonito e bem, coisas difíceis e o difícil requer tempo e treino.

Que tipo de músicas e movimentos treinam?

Temos vários tipos de música. Temos o “Fado” que é fado. Temos o “Vinho do Porto” de Carlos Paião que é folclore e temos uma música que é de Ginástica Aeróbica. Isso obriga a treinar três tipos de dança gímnica, que é aeróbica e acrobática. O que interessa é fazer uma coisa bonita e que todos gostem. Que se sintam bem a fazer e consigam fazer.

José Basto. Quase trinta anos a praticar... Há limite?

 Não, não há limite. Enquanto tiver saúde e conseguir pôr um pé à frente do outro, não haverá limite e irei a todas as edições. Temos a senhora que tem setenta e sete anos, que já nos garantiu que irá à próxima edição em 2019…

 Terá oitenta e uma anos. É claro que não se treina só para a Gymnaestrada de quatro em quatro anos, há saraus, há convites que proporcionam passeios que todos gostam e servem de apoio para os treinos.

Professora, as músicas mantem-se durante esses anos?

Eu não mantenho sempre as mesmas músicas. Há uma que mantive, porque todos fazem questão e que nos identifica, como representantes de Portugal, que é o “Vinho do Porto” que é representativo do nosso país. Mas tirando esta, renova-se, altera-se para manter o prazer e empenho vivo.

Para além de tudo…ainda existe a actividade física.

 Evidente, também é verdade e importante esse facto.

 Há alguns que terminam os treinos, mais cansados que outros.

 Também, também.

Num país em que o futebol, quase apaga todos os outros desportos, não vos custa ver que a vossa modalidade seja tão pouco divulgada?

É evidente, mas temos que fazer um notar uma coisa. Nós somos no Porugalgym, em Loulé estiveram cerca de quatro mil atletas, isso não despiciente. Mas de onde são a maior parte dos atletas? Respondo-lhe. Da Lourinhã ou das Caldas da Rainha para sul. Este espirito de ginástica de grupo e exibição, parece que ainda não chegou cá a cima. Temos muita gente a fazer esta ginástica na zona de Lisboa e Algarve e na zona da Lourinhã e Coimbra. De Coimbra para o norte só há o São Pedro e o Boavista. Há aqui em Praia de Ancora um clube (o Ancorense) que já foi a uma gymnaestrada, mas porque se realizou em Lisboa.

Existem muito clubes de ginástica em todo o país, mas muitos somente se dedicam à competição e para esta ginástica de grupo e exibição, existem pouco ou nenhuns apoios.

Convenhamos que é uma modalidade cara. Qual o limite de inscrições para o grupo do Boavista?

O espaço da sala! Já levamos uma comitiva do Boavista com quarenta e quatro pessoas.


 Concordo que temos que ter em atenção o espaço da sala para treinarmos com a qualidade que se exige, para tudo se fazer bem.

Entrevista de
Manuel Pina

AF PORTO, FELICITA BOAVISTA PELA CONQUISTA DO TÍTULO NACIONAL

Oficio enviado pela AF Porto, felicitando o Boavista Futebol Clube pela conquista da Taça Nacional de Futsal, na categoria de Juniores


FUTSAL (JUNIORES) - TAÇA NACIONAL, CLASSIFICAÇÃO FINAL

CLASSIFICAÇÃO FINAL



segunda-feira, 29 de junho de 2015

A FESTA DO BOAVISTA, O EXCELENTE COMPORTAMENTO DO BELENENSES E NONO ALVARES DE FAFE

Uma festa, é sempre uma festa! Mas há atitudes que se têm sempre que registar, sobre outras.


Primeiro, de salientar o excelente comportamento da equipa historicamente “rival”, o Belenenses. Superiormente gerido por um grande Senhor Desportista, Nuno Lopes, que fez questão de se perfilar no terreno de jogo para cumprimentar e saudar, um a um, os novos campeões!

Bonito, rapaziada de Belém! Bonito como a equipa do Boavista respeitou o Belenenses, jogando tudo (que no momento era possível) para os vencer, respeitante durante todo o jogo os Lisboetas!
Hoje ganhou o Boavista, amanhã ganharão outros!

Bonito também a “paixão” entre a nossa equipa e a equipa feminina do Nuno Álvares de Fafe. No jogo do Boavista, as meninas gritavam pelo Boavista, como se fossem panteras, toda a vida. No jogo das Fafenses a nossa equipa foi a claque indomável das Minhotas.

Bonita, respeitosa e calma, foi a festa do Boavista no terreno de jogo, depois de tudo estar concluído



Há festas e festas…mas no desporto é muito bonito,o
RESPEITO!





Parabéns Juventude! (de todos os clubes presentes)

MENSAGEM DE RUI COSTA, DIRECTOR DA FORMAÇÃO DE FUTSAL

Apos a conquista da TAÇA NACIONAL DE JUNIORES “A”, quero aqui manifestar o meu agradecimento a todos os Atletas Juniores, (mostraram ao longo destes 3 dias o que é ser BOAVISTA, Grande Atitude, Grande sentido de responsabilidade, muito alegria e Grande espirito de Grupo, PARABENS), sem esquecer os juvenis que também fizeram parte desta caminhada.

Ao Staff Técnico (Treinadores - João Marques e João Magalhães sempre presentes durante a época), sem esquecer também os que estiveram nesta caminhada (Manuel Moreira e Nuno Guimarães) e todos os outros que sempre ajudaram no que foi necessário.


Aos Diretores ( Armando Simas, Octávio Diogo, Fernando Neto e Paulo Freitas) que tambem estiveram sempre presentes ao longo de todo o campeonato, 

aos nossos Massagista (Sergio Cruz e Valdemar Teixeira) que sempre que necessário estiveram presentes.


Um muito OBRIGADO ao Eng. Marques (Vice-Presidente das Modalidades Amadoras e a todo o seu staff, Carlos Santos, 
Sara, Jorge, Noémia o Pina, a este um obrigado muito especial pela sua colaboração, sempre disponível em colaborar (quanto foste importante neste fase final do campeonato).


Uma palavra de agradecimento também ao Departamento Sénior (em especial ao Morais, pela colaboração sempre me deu)

Um muito obrigado ao Nosso Presidente (Dr. João Loureiro) pela sua presença em alguns jogos e pelo grande incentivo que deu aos atletas nas suas deslocações ao balneário.

Uma palavra especial também ao Departamento de Futebol, pela excelente colaboração com o Departamento de Futsal.

Por fim um muito obrigado a todos os Pais dos vários escalões de formação pela vossa presença, a todos os Boavisteiros e também a nossa claque Panteras Negras, (não esqueço a imagem de ver o pavilhão do Fontes cheio contra o Braga a puxar pelo Boavista, PARABENS)

Esta vitoria e dedicada a todos vocês
CAMPEÕES ALLEZ, CAMPEÕES ALLEZ!
Rui Costa