Texto principal

PARTICIPE NO FESTIVAL DE COR E ALEGRIA QUE O SARAU DE NATAL DA GINÁSTICA E ARTES MARCIAIS, LHE GARANTE. ADQUIRA OS SEUS INGRESSOS, NA SECRETARIA DA GINÁSTICA DO BOAVISTA FUTEBOL CLUBE

sábado, 31 de dezembro de 2016

SARA FONSECA, GINASTA ARTISTICA. ATLETA DA PRIMEIRA DIVISÃO NACIONAL



Sara Fonseca é uma atleta de Ginástica Artística, que está no Boavista Futebol Clube há seis anos. Aproveitando o tempo de férias escolares, intensificou, com as suas companheiras os treinos. Num dos intervalos entre sessões de treino, escutamos esta jovem.



Como te chamas e que idade tens?


Chamo-me Sara Fonseca e tenho catorze anos.



Em que estabelecimento de ensino estudas?


Na Escola Secundária de Valadares, em Vila Nova de Gaia.



Como te iniciaste na ginástica e há quanto tempo?


Foi uma amiga minha que me convidou a experimentar um treino aqui no Boavista, isto, há seis anos e daí para cá nunca deixei de treinar e competir. Comecei por isso, com oito anos de idade. O Boavista é o meu único clube.



Como é que uma jovem como tu, conciliar os estudos e esta intensa actividade de treinos?


Reconheço que é um pouco complicado e por isso, tento ser o mais organizada possível.




Nunca te cansas durante uma época?


Às vezes surge o cansaço desta rotina diária, mas com algum apoio de amigas, treinadores  e familiares, consigo ultrapassar a fase.



Qual a carga horário semanal de treinos?


Treino dezoito horas por semana.



A nível de títulos, o que tens de mais significativo?


Fui campeã nacional na segunda divisão, agora estou na primeira divisão nacional há dois anos.



Campeã nacional, de que aparelhos?


De tudo!



Na minha perspectiva, sinto que os vossos treinos são, agora, mais intensos. Estou certo e nesse caso porque razão? 


É uma realidade. Agora treinamos todos os dias da semana, cerca de três horas diariamente.



Para terminar. Queres dizer mal dos teus treinadores?


Nada disso. Eu gosto muito dos meus treinadores.

FUTEBOL FEMININO - PONTO DE SITUAÇÃO GLOBAL DAS EQUIPAS DO BOAVISTA



Continuando a análise às modalidades colectivas, nesta paragem de festas natalícias, analisamos hoje, o futebol feminino.

SENIORES
A realidade do campeonato Nacional é diferente da realidade passada, das últimas épocas. Com a aposta da FPF, algumas equipas passaram para um patamar semiprofissional, com contratações de jogadoras que disputavam campeonatos no estrangeiro.

Com esse panorama, restará ao Boavista lutar pela manutenção no primeiro escalão. Com um início aquém do desejado a equipa tem recuperado e está em posição para garantir a tão desejada manutenção.


SENIORES-PROMOÇÃO



Este campeonato denominado de Promoção, mais não é que o Campeonato Nacional da segunda divisão.

O Boavista, inserido na série da zona norte, domina completamente a sua série, transformando em vitórias todos os nove jogos realizados até  esta jornada.

Como é óbvio, não é permitida a ascensão ao primeiro escalão a esta equipa, enquanto a equipa principal do clube ocupar o seu lugar nesse escalão, mas mesmo nestas condições, as panteras apostam na senda de vitórias. 


SUB-19
 

Este escalão é disputado num campeonato nacional de futebol de nove jogadoras. O Boavista é representado por duas equipas, diferenciada pela idade das suas atletas.

A equipa “A” compete com o nome do Boavista FC, enquanto a mais jovem, equipa “b”, joga com o nome de Ramaldense FC. Alicerçada no protocolo realizado entre os dois clubes.

Como se pode verificar na tabela classificativa, a equipa “A” está posicionada nos dois primeirpos lugares classificativos, que darão acesso à fase seguinte, enquanto a equipa “b”, ocupa um excelente sexto lugar, ambas inseridas na série “B” da prova.


SUB 14
A equipa mais jovem da formação está a competir numa série, do campeonato distrital da AF Porto em futebol de setes, em que todos adversários são equipas masculinas. logicamente os resultados são penalizadores para as panteras, dado a diferença física com que se deparam em todos os jogos.

Esta prova, terá utilidade pelo poder físico que as jovens adquirem nos encontros desequilibrados e que serão úteis para o futuro nas competições femininas.