Texto principal

PARTICIPE NO FESTIVAL DE COR E ALEGRIA QUE O SARAU DE NATAL DA GINÁSTICA E ARTES MARCIAIS, LHE GARANTE. ADQUIRA OS SEUS INGRESSOS, NA SECRETARIA DA GINÁSTICA DO BOAVISTA FUTEBOL CLUBE

sábado, 18 de julho de 2009

O FUTURO DO BOAVISTA


Não sabemos o seu nome, mas sabemos do seu amor pelo Boavista FC.
Equipada a rigor, sempre atenta ao jogo e dando constantes indicações...

"vai Figo"
"calma, temos tempo"
"vai Ritinha"
" passa à Figo"
etc...

Um espectáculo esta pequena (MAS MUITO GRANDE BOAVISTEIRA)!
Não se aperceberá dos momentos dificieis do seu Clube, mas está pronta a enfrentar o futuro...

ELA É O FUTURO DO BOAVISTA FUTEBOL CLUBE

PRESIDENTE DA DIRECÇÃO PRESENTE NA FINAL


Atento ao desenrolar do jogo


Junto aio banco das panteras

O Presidente do Boavista esteve presente no encontro, marcando uma presença que denotava alguma familiaridade com o Futebol Feminino.

Sempre atento e calmo durante o jogo, pareceu-nos mais frio que o costumamos ver.
Chegou antes de nós (16 horas) e saiu já depois das 19.50.
Álvaro Braga tem sobre os ombros um posto que poucos desejariam ter e muitos menos invejam.

Pode ter defeitos mas este homem continua a lutar por algo em que muitos já não acreditam...
Ele demonstra, que não só acredita, como continua a lutar pelo sonho de manter este Boavista vivo.

Justiça lhe seja feita por essa luta!

LEIXÕES VENCE NA LOTARIA DAS GRANDES PENALIDADES



BOAVISTA FC 4 - LEIXÕES SC 4 (Após prolongamento)
4-5 (g-penalidades)


CONSTITUIÇÃO DAS EQUIPAS
ÁRBITRO
Jaime Pimenta

BOAVISTA FC
JAQUELINE, ANA FÉLIX, CHU, FIGO (CAP), NANDA, ANA, JOANA, RITINHA, SANDRA, PAULA, LILIANA E TÉTÉ

LEIXÕES SC
LILIANA, DIANA, PATTY, VANESSA, MARLENE, KIKAS(CAP), MÁRCIA,MARTA, ADÍLIA, CARLA E ANDREA


Foi intenso, disputado e digno de uma final o jogo que colocou frente Leixões e Boavista, só resolvido para além da primeira série de grandes penalidades.

No final do tempo regulamentar registava-se um empate a duas bolas e no final do prolongamento novo empate agora a quatro. Nas grandes penalidades no final da série normal, empate a três e só depois, resolvido a favor das matosinhenses.

O terreno de jogo condicionou o encontro que ficou aquém daquilo que ambas equipais mostraram poder fazer. As diminutas dimensões do terreno impuseram as suas leis e cedo se apercebeu que o encontro seria de luta em vez de técnica, pois não existiam espaços para se jogar.

O Leixões apresentou um futebol de luta apostando claramente num jogo partido, alicerçado em duas defesas centrais e lá na frente duas pontas para tentar o golo. No meio e com uma missão de sapadoras as restantes jogadoras, sem grande intenção de construir, antes pelo contrário, que rematavam sempre que a oportunidade surgia.

O Boavista tentava jogar a bola de pé para pé, mas tal não conseguia. Com o passar do tempo a equipa adaptou-se ao jogo de luta mas perdendo o seu fio de jogo, porque a Figo não conseguia nem tempo, nem espaço para pensar o jogo, Nanda jogava atrás lutando no meio campo enquanto Ritinha via-se perdida na frente.

O jogo ficou incaracterístico e deu tempo para as centrais brilhar. Do lado boavisteiro Chu fez um jogo extraordinário nesse aspecto.

O Leixões abriu o activo por intermédio de Marlene num potente remate descaído para a esquerda à passagem dos vinte e cinco minutos, levando as Matosinhense em vantagem para o intervalo.

O Boavista percebeu que num jogo deste cariz era fundamental rematar de meia distancia e depois de ver uma bola bater na barra leixonense rematada por Joana, as panteras empatavam num remate de Nanda.

Aproveitando a repetição de um livre o Leixões voltou a obter vantagem com um míssil enviado por Carla.

Com apenas cinco minutos para jogar as panteras impuseram o seu jogo de raça tentando no tudo por tudo o empate. Tal aconteceu na conversão de uma grande penalidade a castigar corte com as mãos sobre o risco de golo. Porque não houve vermelho?

No prolongamento assistiu-se ao espectáculo da ponta de lança de Matosinhos. Senhor(a) de um grande poder de desmarcação aliado a um forte e fácil pontapé, Kikas é um(a) ponta de lança à maneira clássica, que não permite erros a ninguém.
Aos três e dez minutos deste período, após duas brilhantes desmarcações fez igual número de golos. O segundo uma verdadeira obra-prima pela mudança de pé e remate.

Tudo parecia decidido, mas foi puro engano, porque com o cansaço acumulado começavam a notar-se alguns espaços para jogar, onde finalmente o Boavista podia impor o seu melhor futebol.

A pressão era intensa e só dava Boavista, oLeixões recuava e Kikas era já uma defesa, libertando Chu para subir no terreno e as panteras impunham o seu domínio.

Numa jogada de sufoco as matosinhenses acabavam por fazer um auto-golo e cinco minutos depois num excelente desvio na área Joana empatava a partida.

Seguiu-se o desempate por grandes penalidades e só ao décimo terceiro se encontrou o vencedor.

A arbitragem teve o erro de não expulsar a defesa Matosinhense a quando do penalty e pecou (para os dois lados) em não impor uma distancia legal na marcação dos livres.
Parabéns a todas porque foi um grande jogo de futebol. A organização deverá encontrar um terreno maior para permitir que estas excelentes jogadoras mostrem o seu verdadeiro valor, que nos parece favoreceria o Boavista.

Excelente a moldura humana nas bancadas e o grande número de apoiantes do Boavista que eram em indiscutível maior número.

FUTEBOL FEMININO NA FINAL DO TORNEIO PATRICIUS


HOJE FINAL DO TORNEIO PATRICIUS ENTRE O BOAVISTA E LEIXÕES, NO CAMPO DO CLIP PELAS 17,15

sexta-feira, 17 de julho de 2009

FUTEBOL FEMININO NA FINAL DO TORNEIO PATRICIUS


O Boavista FC vai disputar no Sábado a final do torneio Patricius.

O jogo realiza-se no Campo do CLIP pelas 17,15 e o adversário é o Leixões SC

quarta-feira, 15 de julho de 2009

ANDEBOL - TORNEIO MAIA CUP


O Boavista FC vai estar presente em mais uma edição do grande torneio Internacional Maia Cup que tem inicio no próximo Sábado (18/07) e termina no dia 26, com jogos em todos os dias.

O Boavista estará presente nos escalões de;
Juvenis
Iniciados
Infantis
Iremos tentar acompanhar este torneio, aguardando a colaboração do departamento de Andebol, para sermos informados sobre a competição

XADREZ REGRESSA AO BOAVISTA FC

A Academia de Xadrez vai reabrir no Boavista com Raul Ralha a liderar o novo projecto.

Vamos postar o texto do Projecto e simultâneamente solicitar a divulgação do mesmo por todos os Boavisteiros e amigos.

Para mais informações devem contactar-nos por email ou contactar a Coordenadora das Amadoras pelo telefone 226071039

As aulas terão inicio no dia 1 de Setembro

XADREZ REGRESSA AO BOAVISTA FC - O PROJECTO


XADREZ BOAVISTA

O funcionamento das aulas será de hora e meia semanal, aos finais da tarde durante a semana e ao sábado durante a manhã. Os horários definitivos serão marcados consoante a disponibilidade dos inscritos.

Horário provisório:
2ª das 18h30 às 20h
5ª das 18h30 às 20h
Sábado das 9h30 às 11h; 11h às 12h30; 12h30 às 14h

Dos 6 aos 60 anos.
Não é preciso equipamento ou qualquer outro material extra.

Haverá quatro níveis:

Nível 0
Aprendizagem
A partir dos 6 anos, para pessoas que não saibam jogar xadrez ou que tenham
tido ainda apenas um contacto pequeno com a modalidade.

Nível 1
Intermédio
A partir dos 6 anos, para jogadores que já conheçam as regras, movimentações e um pouco da realidade do xadrez; trabalho vocacionado sobretudo para o desenvolvimento das capacidades intelectuais e cognitivas.

Nível 2
Avançado
A partir dos 6 anos, para quem já esteja completamente à vontade com a modalidade do xadrez; trabalho técnico (aberturas, meio jogo, finais); acompanhamento competitivo nas modalidades individuais e colectivas.

Nível 3
Ensino Superior (Universitário, Politécnico, Privado)
A partir dos 18 anos, para estudantes do Ensino Superior, grupo de trabalho, discussão sobre a prática da modalidade, com vista ao desenvolvimento das competências sociais e competitivas.

PEDAGOGIA NO XADREZ
Na Aprendizagem e na prática do Xadrez encontramos várias competênciasdesenvolvidas:
- Concentração, Memória, Atenção, Auto-confiança
- Lógica, Raciocínio analítico e sintético, Geometria, Capacidade de ver no espaço
- Criatividade, Organização metódica, Antecipação, Espírito de decisão

É reconhecido que as crianças que praticam o xadrez melhoram notavelmente a sua capacidade de raciocínio, o que se reflecte num melhor rendimento escolar. O
xadrez contribui para o desenvolvimento intelectual, para a educação social e desportiva, para atingir objectivos culturais e ampliar conhecimentos, para o desenvolvimento pessoal e formação do carácter.
Durante a partida de xadrez a cada jogada está associado um acto de uma reflexão, que precede a eleição do movimento. Este processo de reflexão requer atenção (aplicação voluntária do pensamento à actividade que se realiza) e concentração (capacidade de isolar-se voluntariamente do mundo exterior e centrar-se exclusivamente na acção que se realiza). A prática do xadrez potencia estas capacidades que favorecem um melhor rendimento escolar.
O xadrez é um estímulo poderoso da tenacidade, do espírito de luta e da capacidade de sacrifício. A lógica que rege a sequência de jogadas de uma abertura ou de uma combinação ou a precisão de alguns finais de partida tem muita relação com os processos de raciocínio utilizados nas matemáticas.
O xadrez é claramente uma ferramenta educativa. Qualquer projecto, programa ou plano de ensino-aprendizagem do xadrez deve ser encarado como um Projecto
Educativo.

OBJECTIVOS EDUCATIVOS DO XADREZ, DE ACORDO COM OS DIFERENTES
ASPECTOS FORMATIVOS

A educação formal escolar em certos níveis etários tem evoluído condicionada por uma sociedade que dá mais importância à informação do que à formação. Mas de
nada serve ter pessoas perfeitamente formadas tecnologicamente, se estes conhecimentos não são acompanhados de uma sólida formação humana, que permita
ao indivíduo desenvolver-se harmoniosamente dentro de uma sociedade cada vez
mais complexa e exigente.
O Xadrez é um instrumento formativo de primeira ordem, já que faz desenvolver capacidades intelectuais que ajudam a fomentar conhecimentos do mundo actual e contribui para a formação integral da pessoa.
Os objectivos educativos que se pretendem alcançar com o ensino aprendizagem do xadrez podem classificar-se em 3 grandes grupos, atendendo aos diferentes aspectos formativos sobre que incidem:
- Desenvolvimento intelectual e cognitivo
1) Desenvolver a atenção e o poder de concentração
2) Aumentar a percepção, discriminação, análise-síntese e orientação espaciotemporal
3) Potencializar a capacidade de raciocínio lógico-matemático
4) Interpretar e utilizar correctamente códigos e nomenclaturas (associados às linguagens do xadrez)
5) Desenvolver a criatividade e a imaginação;
- Educação social e desportiva
1) Respeitar regras, leis das competições e normas de comportamento
2) Valorizar e respeitar o silêncio com fonte de concentração
3) Fomentar o desenvolvimento de relações interpessoais equilibradas e
construtivas
4) Aceitar desportivamente o resultado das partidas, comportando-se
correctamente perante a vitória ou a derrota.

- Desenvolvimento pessoal e formação do carácter
1) Analisar sistematicamente os problemas, utilizando procedimentos adequados para obter a informação, seleccioná-la organizá-la e utilizá-la.
2) Expressar de forma organizada contestações, conclusões e soluções de
problemas.
3) Valorizar com antecipação as vantagens e inconvenientes de uma decisão, e planificar antecipadamente as respostas a possíveis situações.
4) Responsabilizar-se pelos próprios actos, reconhecendo os acertos e os erros cometidos e assumindo as consequências positivas ou negativas das decisões tomadas (no xadrez não é possível invocar desculpas exteriores às próprias opções que o praticante toma durante o jogo, perante as consequências negativas de uma decisão erradamente tomada).
5) Desenvolver a auto-estima e a capacidade de superação, valorizando o
próprio progresso na aprendizagem e adquirindo um nível adequado de autoconfiança.
6) Aumentar o controlo emocional e a impulsividade, evitando acções irreflectidas.
7) Estimular a perseverança na abordagem de tarefas e resolução de problemas.
8) Analisar as questões e as novas situações de diferentes pontos de vista, incluindo as perspectivas do adversário.
9) Fomentar iniciativas dentro do grupo com intenções de crítica construtiva.
10) Ter satisfação pessoal com os processos de raciocínio e de actividade mental, enquanto se envolve na prática do jogo.
11) Orientar os tempos de ócio para actividades construtivas e criativas.

Raul Ralha

segunda-feira, 13 de julho de 2009

FUTEBOL FEMININO NA FINAL DO TORNEIO PATRICIUS


O Boavista venceu o jogo da segunda mão da meia final, recuperando os três golos de atraso que trazia da primeira mão.

No tempo regulamentar o Boavista empatou a eliminatória ao vencer por números iguais aos que tinha perdido no primeiro jogo. Venceu o Gatões por 5 a 2.

No prolongamento as axadrezadas marcaram mais um golo e venceram a eliminatória.

A final disputa-se no próximo Sábado dia 18 defrontando-se Boavista e Leixões, pelas 17.15 no Campo do Clip.


VERA VALENTE - A ENTREVISTA DA TREINADORA CAMPEÃ


Vera Valente é treinadora do Boccia do Desporto Adaptado no Boavista.
Jovem e dinâmica é a treinadora de dois Campeões e, deste modo, podemos afirmar, é uma treinadora Campeã.

Há quantos anos desempenha esta actividade no Clube?
Desde Janeiro de 2001.
Qual o local de treinos?
Aqui no Bessa nas antigas salas de ginástica.
Tem as condições desejadas?
Para o número de atletas que temos, considero que tenho as condições indispensáveis.
Neste momento tem dois atletas. Qual seria o número máximo que poderia treinar simultaneamente?
Desde que cada atleta tivesse um acompanhante o que é indispensável, poderia treinar quinze atletas.
Como nasceu esta vocação para treinadora de Boccia?
Não nasceu propriamente para ser treinadora de Boccia, desejei sempre lidar com relações especiais e este desejo já vem desde a pré-escola.
No infantário havia uma miúda com Trissemia vinte e um e tinha uma educadora de infância especial, mas o que era certo é que a miúda, só fazia o que eu mandava fazer.
Fiquei sempre muito sensível com isso e mais tarde quando entrei no curso de Educação Física, já sabia que queria a vertente de reabilitação e actividade física adaptada.
Quanto ao Boccia, vim-me escrever como voluntária no Boavista trabalhei com a classe de deficientes mentais e surgiu a hipótese de treinar com Boccia com o Bruno Valentim, aceitei o desafio e… agora é uma paixão.
O que lhe exige mais. Dedicação ou paciência?
Dedicação, porque o Boccia é um jogo diferente dos outros de índole colectivo, porque é um jogo parado em que, sobre tudo, as capacidades psicológicas e tácticas do atleta, contam mais que as físicas.
Temos a ideia que estes atletas terão mais dificuldade em aceitar a derrota. Estamos certos?
Não! Isso depende muito e sempre do espírito competitivo do jogador.
Com tantos resultados. Não teme perder algum? Por exemplo, o Porto está a apostar muito no Boccia.
Não, sinceramente não tenho medo nenhum, aliás os meus atletas não vão de encontro aos objectivos do FC do Porto.
Porque é que o Bruno Valentim não estve neste Europeu?
O Bruno teve uma situação de ruptura com os Dirigentes Federativos numa prova anterior e decidiu abandonar o estágio dessa prova. Por isso não foi convocado para os Europeus. O Clube tomou uma posição e estamos a aguardar uma resposta.
Luís Silva fez a sua estreia internacional, nestes Europeus. Como classifica os resultados alcançados?
Para a primeira prova internacional, considero que os resultados foram muitos bons. Até porque o jogo que o afasta da final, o das meias-finais, foi um jogo muito bem disputado, ele jogou muito bem e teve algum azar. Em pares jogou lindamente e foi Campeão Europeu com todo o mérito.
Considera que possui espaço para evoluir?
Sim vai evoluir muito, porque é um jogador que trabalha muito que se dedica muito e tem uma grande visão táctica do jogo.
O Bruno pertence à categoria BC4 e o Luís à de BC3. O que diferencia as categorias?
Nestas categorias os atletas têm doenças Neuro-musculares (sem paralisia cerebral) e os números (3 ou 4) diferencia o seu nível de doença. Estes atletas em grau de incapacidade têm menos que os outros.
Podem acontecer mudanças de categoria?
Nestes escalões podem acontecer. Como as doenças neuro-musculares são progressivas, com o tempo, por exemplo, o Bruno Valentim pode passar para BC3.
O facto de ser treinadora mulher, não lhe permite acompanhar (como treinadora) em grandes eventos. Isso não prejudica os atletas?
Sim lamento que não haja uma cota para os treinadores acompanharem.
O Bruno foi para os jogos paralímpicos na China e esteve sem treinadora imenso tempo…
Mas o mais importante nesse caso, é que ele não foi acompanhado pela sua acompanhante de sempre (sua mulher, no caso) e isso eu considero muito importante para eles terem a estabilidade quando saem do campo. Existe uma treinadora/seleccionadora que se ocupa com os treinos e os jogos, como no futebol, mas aqui, como é um jogo individual, os atletas não têm o seu treinador habitual, ao contrário do atletismo no qual os treinadores acompanham os seus atletas.
Algo está errado. Não acha?
Sim acho que está mal e deveria ser alterado.
Pessoalmente, para além de treinadora o que faz profissionalmente?
Sou professora de educação física.
Numa escola normal?
Sim. Só me dedico a atletas especiais depois das aulas.

Nota: se desejar ouvir a entrevista pela rádio, deve sintonizar a Rádio Boavista

domingo, 12 de julho de 2009

FUTEBOL VETERANOS - BOAVISTA 3 ESPINHO 1

Bóbó dá show e mostra que quem sabe... sabe sempre!
O Boavista alinhou com:
Petronilha
Marques, Martinho, Bruno Pereira, Eduardo
Válério, Monteiro, Silva, Bóbó
Gaspar e Paulo Fernandes
Depois com mais...
Filipe, Alabano e Serginho
No jogo de atribuição do terceiro lugar, Bóbó demonstrou que “quem sabe nunca esquece” dando um verdadeiro show de bola e marcando os três golos do Boavista, com os dois primeiros a obrigarem a levantar o estádio pela sua qualidade.
Um remate de quarenta metros a entrar na baliza junto ao ângulo superior esquerdo e o segundo numa execução brilhante de um livre descaído para esquerda, com o esférico a entra ao segundo poste, terminou com a transformação de um grande penalidade … e saiu lesionado.

Antes porém o mister Alfredo compões a equipa com algumas alterações mantendo-a mais equilibrada. O Boavista abriu o activo na primeira parte e durante esse período viu um grande remate de Gaspar esbarrar na barra (vinte minutos depois esta ainda abanava...) dando a indicação como se deveria fazer e Bóbó esteve atento.

Na segunda parte o Boavista chegou a ser demolidor, mas contra a corrente do jogo Espinho acabou por empatar.O Boavista não tremeu e foi atrás do resultado conseguindo uma vitória sem qualquer contestação.
Assim terminou a época os Veteranos, com o Manuel do Laço mais feliz e talvez com vontade de repensar a sua ideia de despedir metade dos jogadores que tinha ameaçado com despedimento no dia anterior

FUTEBOL VETERANOS


O Boavista FC conquistou o 3º lugar no Torneio de Homenagem ao Dr. Vieira de Carvalho ao vencer o SC Espinho por 3 a 1.

Na final e após empatados a zero no final do tempo regulamentar a Selecção do Porte venceu o FC da Maia no desempate por grandes penalidades.