Texto principal

PARTICIPE NO FESTIVAL DE COR E ALEGRIA QUE O SARAU DE NATAL DA GINÁSTICA E ARTES MARCIAIS, LHE GARANTE. ADQUIRA OS SEUS INGRESSOS, NA SECRETARIA DA GINÁSTICA DO BOAVISTA FUTEBOL CLUBE

sábado, 19 de novembro de 2011

FUTSAL - RESULTADOS (INCOMPLETOS)

SC BRAGA 4 – BELENENSES 3
GS LOURES 4 -  BOAVISTA FC 4
AC. COIMBRA 3 – AD FUNDÃO 4
AR FREIXIEIRO  3 – GD OPERÁRIO 3
MODICUS 4 – AMSAC 3
SL OLIVIAS 1 - SL BENFICA 4

FUTSAL - BOAVISTA EMPATA EM LOURES

O Boavista empatou com GS Loures a quatro. Juntamos
a ficha do jogo
Clique para ampliar
Fonte: Futsalglobal

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

VOLEIBOL - JUVENIS EM IMAGENS


Fotos de paulo Correia

VOLEIBOL - CAMPEONATO NACIONAL


 O Campeonato nacional da segunda divisão de Voleibol, tem a seguinte forma de disputa, esta época.
1ª Fase
Disputado em duas Zonas (Norte e Sul), com cada série composta por seis equipas, no total de doze.
2ª Fase
Passam para a esta fase os três primeiros de cada série, num total de seis equipas.
Estas seis primeiras formam um grupo a nível nacional para lutar para a passagem à terceira fase.
3ª Fase
Disputada pelas seis apuradas num grupo que jogará a duas mãos e a nível nacional.
As três primeiras equipas serão apuradas para a fase final.
Fase Final
Disputada pelas três primeiras classificadas da fase anterior, às quais se juntará a representante dos Açores.
As quatro equipas apuradas, disputarão em prova concentrada num fim de semana, um poulle a uma volta.
As duas primeiras classificadas sobem à primeira divisão nacional.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

FUTSAL - SENIORES EM IMAGENS


Fotos de Paulo Correia

AGENDA DESPORTIVA




Clique para ampliar

terça-feira, 15 de novembro de 2011

ANDEBOL - PONTO DA SITUAÇÃO ACUAL


SENIORES
Os seniores venceram o seu segundo jogo e espera-se  que tenha sido o início da recuperação classificativa.

JUNIORES 
Terminando em segundo classificado o Boavista ficou apurado para a fase Final que vai decidir a subida de divisão

 A primeira jornada desta fase final tem o seguinte calendário
JUVENIS
Igualmente neste  escalão o Boavista terminou em primeiro lugar a primeira fase
Clique para ampliar

VOLEIBOL - SENIORES

Clique para ampliar

ANDEBOL - INICIADOS EM IMAGENS


Fotos de Paulo Correia

VOLEIBOL - CADETES EM IMAGENS


Fotos de paulo Correia

VOLEIBOL - CRÓNICA DO JOGO








Clique nos textos para ampliar
Fonte; Blog do Voleibol

KARATÉ - RESULTADOS

Resultados dos atletas do Boavista na Taça CPK:
Evento: Taça CPK
Data: 05 Novembro 2011
Local: Pavilhão do Mindelo
Hora: 14:30h

JUNIORES:José Pedro Machado
3º Classificado Kumite (-55Kg)


CADETES:Henrique Cardoso
1º Classificado Kumite (-52Kg)

KARATÉ - CAMPEONATO REGIONAL DO NORTE

Campeonato Regional Norte
Data: 19 Novembro 2011
Local: Delães


Participantes pelo Boavista FC:

JUNIORES:Kata e Kumite:
José Pedro Machado - 3º Kyu 

Vice-Campeão Regional Kumite (-55Kg)
3º Lugar Taça CPK 11/12 - Kumite Júnior (-55Kg)
13 competições realizadas


CADETES:Kata e Kumite Masculino:
Henrique Cardoso - 5º Kyu

3º Lugar Regional 10/11 - Kumite Juvenil (-52Kg)
1º Lugar Taça CPK 11/12 - Kumite Cadete (-52Kg)
3º Lugar Taça CPK 10/11 - Kumite Juvenil (-52Kg)
11 competições realizadas


Kata e Kumite Feminino:
Raquel Barros - 5º Kyu

3º Lugar Open NPK 10/11 - Kumite Cadete Open
12 competições realizadas

Para conhecer todo o programa deve clicar sobre este link
https://docs.google.com/viewer?a=v&pid=gmail&attid=0.1&thid=133a487666e077be&mt=application/pdf&url=https://mail.google.com/mail/?ui%3D2%26ik%3D8f96f0fbf0%26view%3Datt%26th%3D133a487666e077be%26attid%3D0.1%26disp%3Dsafe%26zw&sig=AHIEtbQYpVImSepko3th28BfkcaKz14V9A

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

REUNIÃO ENTRE A ASSOCIAÇÃO E FUTEBOL FEMININO

Carlos Pereira - Presidente da a. Amigos do Boavista

Paulo Moura - Director do Futebol Feminino
Tivemos conhecimento oficial, da realização da reunião entre a Associação de Amigos e o Director do Futebol Feminino, para a qual servimos de intermediário.
A reunião aconteceu na sede da associação e correu em clima positivo e com resultado igualmente positivo.
Ficou assegurada a colaboração entre as duas partes.

ANDEBOL - SENIORES EM IMAGENS


Fotos de Paulo Correia

VOLEIBOL - SENIORES EM IMAGENS

AV CASTELO 3 - BOAVISTA FC 0




Imagens do Blog do Voleibol

FUTSAL - INFANTIS EM IMAGENS


Fotos de Paulo Correia

VOLEIBOL - TAÇA DE PORTUGAL

O sorteio da 1ª Eliminatória da Taça de Portugal de Voleibol, ditou os seguintes jogos



VOLEIBOL - PLANTEL SÉNIOR


Clique para ampliar

RESULTADOS DO FIM DE SEMANA





Clique para ampliar

FUTSAL - VIDEO DO JOGO


Imagens recolhidos por Diogo Batista

domingo, 13 de novembro de 2011

FUTSAL SENIORES EM IMAGENS

FUTSAL - BOAVISTA PERDE EM CASA

A DEFESA, FOI... O MELHOR ATAQUE!

BOAVISTA FC 2 – GDOPERÁRIO 5
Ao intervalo (1-3)

Pavilhão do GD Viso

CONSTITUIÇÃO DAS EQUIPAS
ÁRBITROS:
Hugo Marques e Luís Graça da AF Braga

BOAVISTA FC
Cinco Inicial
BUFFON, NUNO, IVAN, PEDRO SILVA e FÁBIO
Jogaram ainda:
HUGO, MACIEIRA, RICARDO SANTOS, ORLANDO, SÁPINTO, MIGUEL e TEIXEIRA

GD OPERÁRIO
Cinco inicial
BETO, NAVAIS, VETO, MINHOCA e PAULO PINTO,
Jogaram ainda:
BIRA, RENAM, BALÃO, OLIVEIRA e PAULO FERREIRA

DISCIPLINA
AMARELOS -Miguel (11) Beto (16) Nuno (23) Teixeira (39)

MARCHA DO MARCADOR
0-1 Veto (2)
0-2 Minhoca (14)
0-3 Minhoca (16)
1-3 Ivan (18)
1-4 Navais (25)
2-4 Fábio (38)
2-5 Veto (40)

Os Açorianos apresentaram desde o início de jogo uma aposta forte, na defesa do seu meio campo, jogando sempre – em termos defensivos – nos seus vinte metros defensivos. Quando a bola era posse do Boavista, o Operário nunca a procurou recuperar em terrenos axadrezados, passando para esse sector do campo somente quando ganhavam posse de bola.

Durante todo o jogo os Açorianos, mostraram grande concentração, tacticamente fieis ao seu plano de jogo e muito solidários entre si.

Perante este sistema de jogo ao Boavista restavam duas soluções ou tentar remates de meia distancias, ou ter um elemento desequilibrador que assumisse a tentativa (quase individual) de rasgar a defensiva contrária. Nem teve esse rematador, nem alguém assumiu como desiquilibrador… e o jogo foi praticamente controlado pelo Operário.

Para agravar todas as dificuldades – já esperadas – um erro defensivo deu aos dois minutos um golo de vantagem ao Operário, que caiu – para eles – como ouro sobre azul. A primeira aposta do Operário seria controlar o jogo defensivamente e posteriormente tentar um golo. Ora aconteceu, que ainda sem nada ter feito ofensivamente, Vero aproveitava um ressalto para abrir o activo. Com este golo prematuro e oferecido, a táctica apresentada, era agora um sistema ideal para este jogo.

Com o Operário esperando pelo Boavista sempre no seu meio terreno, os axadrezados trocavam bola sistematicamente entre si na saída do seu meio terreno sem poder de infiltração, transformando o jogo numa espécie de Voleibol em que cada turma ocupa só o seu meio terreno.

Com o passar do tempo e como seria lógico esperar, começaram a aparecer os erros de passes que permitiam os contra ataques dos Açorianos. A coesão táctica e defensiva, destes, só permitiu em todo os jogo, dos situações de contra ataque ao Boavista aos doze e dezasseis minutos, que não foram aproveitadas.

Numa das transições dos Açorianos, recuperação de bola e ataque, o capitão Minhoca fazia os dois a zero. O Boavista não conseguia reagir e Minhoca, dois minutos depois fazia o terceiro golo. Ivan, num remate cruzado diminuiria e lançaria a esperança numa segunda parte diferente.

Tal não veio acontecer, porque os açorianos nunca se iludiram e sempre fieis ao estilo de ogo, não davam espaços a uma equipa, lenta e algo apática não sabendo descobrir forma de se desenvencilhar daa forma do jogar do Operário. Alberto Melo tentava descobrir um sistema que tudo alterasse, mudando os seus atletas, mas não encontrava soluções, enquanto nos Açorianos a substituições feitas, nada alteravam, porque neste aspecto, a equipa nunca mostrou um elo mais fraco. Coesão, disciplina e entrega ao jogo, aconteceram sempre estivesse quem estivesse em campo pelos Açorianos.

Mesmo com o jogo mais aberto, o Operário faria o quarto golo, por intermédio de Navais e sentenciava o jogo, pois nas oportunidades que o Boavista conseguia, nenhuma foi aproveitada. com o Operário a controlar o jogo, o Boavista passou a jogar de cinco para quatro a partir dos trinta e cinco minutos. Faltava tempo e a diferença de golos era muita…

Numa primeira fase em que Miguel era o guarda-redes volante, o Boavista esteve lento e só por uma vez podia ter marcado. Quando Sá Pinto ocupou essa posição a equipa subiu de rendimento e o Operário pela primeira vez abanou. A dois minutos do final Fábio reduziu, à boca da baliza, mas o tempo era escasso para a reviravolta.

O Boavista manteve a sua aposta no, cinco para quatro e a dois segundos do final do jogo, numa recuperação de bola, Veto fechava a contagem com a baliza axadrezada desguarnecida.

Vitória certa de uma equipa, que se preocupou – primeiro – em não deixar jogar, que beneficiando da oferta do primeiro golo, controlou o jogo. Não se pode acusar o Operário pela apresentação deste sistema, pois foi a sua aposta. Ao Boavista cabia a obrigação de conseguir um antidoto para não só contrair esse sistema, como solucionar esse problema e a verdade é que as Panteras nunca conseguiram resolver esse problema.

O jogo é isso mesmo! Cada um joga com as suas armas.

A arbitragem não esteve bem. Não teve influencia no resultado, é certo, mas demasiados erros de interpretação de faltas, mostraram que se este jogo, fosse disputado com mais agressividade – nos dois sentidos, positiva e negativa – a equipa de arbitragem correria o risco de se perder. Mas o pacifismo com que o Boavista encarou o jogo acabou por beneficiar a sua actuação.

A situação do Boavista passou a estar no limite. A equipa tem que reagir, tem que ser mais agressiva na procura e disputa dos lances e tem que acreditar que nada ainda está perdido. É indispensável vencer os próximos três jogos, a começar pelo de Sábado frente a umadversário (muito directo) em Loures.