Texto principal

TERMINADA MAIS UMA ÉPOCA DESPORTIVA, DESEJAMOS A TODOS ATLETAS E SEUS FAMILIARES UMAS BOAS E MERECIDAS FÉRIAS, DA NOSSA PARTE CONTINUAREMOS O TRABALHO PREPARANDO A NOVA ÉPOCA DE 2019/2020. BOAS FÉRIAS


sábado, 14 de janeiro de 2012

MANUEL CAMPOS - ENTREVISTA EXCLUSIVA AO CAMPEÃO

Passados dois dias, após a espectacular classificação para os Jogos Olímpicos de Londres, contactamos o Grande Campeão, Manuel Campos, para aquilatarmos do seu estado de espírito. Surpreendeu-nos (ou talvez não) pois apresentou-se calmo, modesto, não valorizando (muito) o feito enorme que acabara de alcançar!

O apuramento para os Jogos de Londres, foi sempre para si uma aposta pessoal. Realizou o sonho?
Sim, uma aposta pessoal e fruto de um trabalho conjunto com o meu treinador, Manuel Costa. Neste momento, passou de sonho a realidade, o que é incrível.
Durante a prova de ontem, houve algum momento critico?
Sim, no terceiro aparelho - cavalo c/ arções, tive uma queda logo ao iniciar o exercício. Ao repetir esse elemento para não perder a dificuldade do meu exercício, tive que manter a cabeça fria para conseguir terminar o exercício com sucesso.
Como analisa essa prova?
Julgo que foi uma prova com poucos erros, apenas alguns desequilíbrios nas paralelas e com uma queda no cavalo, que considero um acidente de percurso (rui-se).  No geral, acabou por ser uma boa prova.

Como é que se consegue tal longevidade numa modalidade tão exigente?
Pela persistência e vontade de concretizar o meu sonho. Para além disso, o gosto e necessidade de competir ao mais alto nível.
Quando compete internacionalmente e olha para os seus adversários directos, nunca pensa nas diferenças de condições que têm de trabalho?
Obviamente que não, sempre aprendi a trabalhar com aquilo que tinha, não me preocupando com o que os outros tinham mas sim com o que podia fazer por mim e pelo meu país.
Se Manuel Campos tivesse nascido nos Estados Unidos... Onde teria chegado?
Se calhar não teria chegado onde cheguei...nos Estados /Unidos há muitos praticantes de ginástica, e como tal não sei se teria a sorte de poder competir ao mais alto nível. Estou certo que não trocaria nem troco a minha Nacionalidade.
Como descobre - todos os dias, durante anos - vontade para treinar?
Pela conquista, pela competição e pela representação. Cada competição é um momento único, e são esses momentos que me dão motivação.
Nunca lhe "apeteceu" parar?
Parar não, abrandar sim (rindo-se)
Quem são os seus "pilares de apoio" que estão todos os momentos consigo?
Os meus pais, o meu irmão, a minha namorada, os meus amigos e o meu treinador que tem sido o pilar da minha jornada na ginástica!
Alguns portugueses, não conhecem (lamentavelmente) o Joca. Se fosse Benfiquista, Sportinguista ou Portista, seria mais conhecido?
Penso que não, infelizmente a Ginástica Artística não é uma modalidade que reúne muitos adeptos em Portugal. O facto de ser uma modalidade complexa e de difícil entendimento, talvez contribua para que não seja tão popular quanto poderia ser, dada a sua beleza e risco.
Os jogos estão aí à porta. O que espera conseguir o Joca em Londres 2012?
Em Londres espero poder concretizar outro sonho meu, alcançar a final all around. Tenho a perfeita noção da dificuldade de alcançar a final, no entanto vou treinar e lutar por essa final.