Texto principal

O BOAVISTA FUTEBOL CLUBE, ORGANIZA NO PRÓXIMO DIA 17 DE NOVEMBRO A CORRIDA DA PANTERA. UMA PROVA COMPOSTA POR 10 KM DE CORRIDA OU 5 KM CAMINHADA. PARTICIPE!


sábado, 17 de julho de 2010

PEDRO FRAGATA, POUCAS FALAS E MUITAS ACÇÕES

FRAGATA, UM VETERANO (NO BOAVISTA) DE 15 ANOS

Pedro Fragata é o (outro) guarda redes dos Juvenis Campeões Nacionais de Futsal. Está há tanto tempo no Boavista que teve que esperar um ano para ser criada a equipa que o lançou.
É um jovem de acções e convicções mas de muito poucas falas. Um tormento para quem o quer conhecer melhor.
Nome e idade?
Pedro Fragata e tenho quinze anos.
Quando começas-te a jogar pelo Boavista?
Ui! Quando entrei para o Boavista ainda nem havia escolas e eu tinha idade de escolas. Treinei durante uma época com o infantis.
Como apareces no Clube?
Foi o meu tio (Vasco Fragata) que me trouxe.
Lembras-te do teu primeiro treinador?
Foi um Senhor chamado Jos, o Senhor Augusto e o Coelho.
Voltemos um pouco atrás, em que escalão te iniciaste?
Comecei nas Escolas que entretanto foram formadas, onde joguei três épocas. Depois estive dois anos nos infantis, dois nos iniciados e estou há uma época nos Juvenis.

Quantos títulos já conquistaste?
Conquistei dois títulos nas escolas, nos infantis só fui vice-campeão pois perdi duas finais nos penaltis. Nos iniciados ganhei dois campeonatos por isso, fui bi-campeão. Este ano ganhei o campeonato distrital e fui campeão Nacional. No total conquistei seis títulos e fiquei duas vezes em segundo.
Muita coisa para um "puto" com quinze anos...
Acho que sim, mas quando eu digo fui, estou a pensar em mim, mas é claro que não fui só eu, fomos todos que pertenciam às minhas equipas. Ninguém ganha sozinho.
Porque optas pelo futsal, quando o mais normal é escolher o onze?
No início, quando o meu tio me trouxe, eu vim mesmo pelo desporto, depois comecei a gostar disto e agora só quero, mesmo o futsal.
E porquê, guarda-redes?
Quando estava nos infantis, à espera que criassem a equipa de escolas, jogava onde calhava e só havia um guarda-redes, por isso em todos os treinos ia um jogador à escolha para a baliza. Um dia, foi a minha vez e mandaram-me para a baliza. Gostei, calhou-me bem e nunca mais saí desse lugar.
As tuas camisolas têm todas o número oitenta e oito. Porque razão?
Era o número do Alex, antigo guarda-redes dos seniores do Boavista. Eu gostava muito dele e ele ensinou-me muito.
Mas ele já saiu do Clube. Isso não mudou a tua admiração?
Nada mudou. Falava muito com ele e na altura que saiu do Boavista voltei a falar com ele. Continua a ser um dos meus ídolos e vou continuar com o mesmo número.
Habituado vencer títulos, como viveste este?
Para além de mais é um título nacional! Depois se juntarmos o título à situação que o Clube vive, acho que foi muito importante para o Boavista no seu todo. Para mim foi uma honra vestir esta camisola no ano em que conquistamos estes título,
Em alguma altura sentis-te que o título podia fugir?
Sinceramente não! Desde o início da época que acreditei que irámos ser campeões. Da forma como sempre trabalhamos, com a equipa que tínhamos, com o rigor do Sérgio, sinceramente, sempre pensei que íamos chegar longe.
Concordas com o que o Ervilha disse?
Sim, até pelos objectivos que o Sérgio nos impunha, não havia outra hipótese. Fomos campeões mas trabalhamos muito para isso.
Quem teve a ideia de dividir o tempo de jogo entre os dois guarda-redes?
Isso já vem das escolinhas, só no último ano de escolinhas em que eu era o único guarda-redes é que defendia todo o jogo, a partir daí sempre foi assim, metade cada um.
Não é frustrante tu saberes que ao intervalo, vais ser substituído?
Não, porque sei que ao intervalo vai entrar um que vai fazer o mesmo trabalho, ou melhor, que eu. O que interessa é no final termos vencido o jogo.
Mas qualquer jogador quer jogar sempre. Não me digas que não é assim?
Isso é óbvio, mas eu sei que ele também está para ajudar a equipa e que as regras são essas e não há problema.
Pensas que para o ano consegues ser bi-campeão?
Se nos esforçarmos e trabalharmos como este ano, acho que tudo é possível.
Mas vão sair jogadores para os Juniores. A equipa não se vai ressentir?
Vão sair três ou quatro, mas os outros que eram do primeiro ano vão estar mais maduros e mais conscientes com o que devemos fazer.
Concordas com a visão critica do Luís sobre alguns?
Talvez. Mas este ano eles vão dar mais quando se sentirem mais necessários.
Em que ano estudas?
Passei agora para o décimo primeiro ano (excelente) e estou em Ciências e Tecnologia.
No futuro apostas no curso ou aposta em experimentar o profissionalismo no futsal?
O meu primeiro objectivo desportivo, é jogar nos seniores do Boavista.
Então vais fazer a formação toda no Boavista. Se aparecer outro clube?
Não há hipótese nenhuma de eu sair, quero ficar sempre no Boavista.
Que importância têm os dirigentes para ti?
São fundamentais, porque nos acompanham sempre, porque trabalham para nos apoiar e quero deixar aqui uma palavra de agradecimento para eles.
Vocês são jovens. Depois de treinos de hora e meia, muitas vezes o Sérgio promove umas sessões de esclarecimento. Não vos satura?
Eu estou habituado a isso. Outros não estão e acham que... mas... tem que ser assim. Ao fim e ao cabo, os resultados aparecem e dizem que o Sérgio tem razão.