Texto principal

O BOAVISTA, VAI ORGANIZAR NO ÚLTIMO FIM-DE-SEMANA DE MAIO E PRIMEIRO FIM-DE-SEMANA DE JUNHO UM GRANDE TORNEIO DE BILHAR, QUE DECORRERÁ NA SALA DO ESTÁDIO DO BESSA

domingo, 2 de abril de 2017

FUTSAL (SENIORES) - BOAVISTA VENCE JACA EM JOGO DE GRANDE IMPORTÂNCIA



IRREVERÊNCIA DA JUVENTUDE AXADREZADA, VENCE EM JOGO DE GUERRA COMPETIVA


JACA FC 3 - BOAVISTA FC 4

(1-1)

PAVILHÃO

Escola S/C dos Carvalhos


ÁRBITROS

Pedro Soares, Celso Dias e Armando Santos  - AF Coimbra


JACA FC

Joca

Carlitos

André

Peixe

Reina

Banco

Fábio

Costa

Tozé

Mesquita

Ivo



BOAVISTA FC

Nuno

Hélder

Torres

Pedro

José Soares

Banco

Fragata

André

Paulinho

Bebé

Leandro

João

Saraiva


DISCIPLINA

Cartão Amarelo

Jaca FC

Fábio (32)

Boavista FC

Hélder (25), Torres (39)



MARCHA DO MARCADOR

0-1  Hélder -  4 minutos

1-1  Mesquita - 19

1-2  Pedro – 21

1-3  Zé – 23

2-3 Peixe – 35

2-4 Zé – 37

3-4 Carlitos 39



Ocupando a zona da despromoção e apenas com dois pontos a separa-las, ambos conjuntos, sabiam que um empate seria mau para os dois. O cenário previsto, antecipava um jogo de emoções e luta.


Nesse aspecto, ninguém saiu defraudado, porque nunca a equipa Gaiense se rendeu e nunca o Boavista – equipa mais jovem – esteve em posição de derrotado. Disputado até ao último segundo – sem exagero algum – este encontro não foi bem jogado tecnicamente, mas foi repleto de luta e emoção. 


Começou bem, o Boavista. Controle de bola jogada no meio campo adversário, com pressão organizada e concluindo jogadas com muitos remates de meia distancia, impondo-se ao Jaca.


Num desse remates, na passagem dos quatro minutos, Hélder abriu o activo. 



Com a passagem do tempo, o Jaca libertou-se da pressão e o jogo passou a ser aberto, com oportunidades para ambos os lados. Se por um lado o Boavista podia ter marcado o segundo golo, não deixa de ser verdade, que o Jaca também podia ter empatado.

E isso, aconteceu no último minuto do primeiro tempo, quando os panteras se preocuparam mais em contestar a marcação de uma falta, enquanto, o Jaca marcava rapidamente o livre e junto ao segundo poste, Mesquita empatava.

O resultado ao intervalo aceitava-se.



No segundo tempo, o Boavista, começou forte e alcançou a vantagem de dois golos, com golos de Pedro e Zé.

Seguiu-se uma fase em que os axadrezados criavam e desperdiçavam várias oportunidades para fazer o quarto golo e matar o jogo. 

O Jaca na passagem do minuto trinta passou a jogar com o do seu guardião na posição de avançado. Nem sempre o Boavista defendeu bem nesse sistema, falhando por algumas vezes a forma de defender.

O Jaca, viria a reduzir para um golo de diferença nA passagem dos trinta e cinco minutos, incendiando um jogo que já estava quente, muito por culpa, da falta de categoria de um dos árbitros.



Ao minuto trinta e sete, ocorreu a jogada crucial do encontro. Zé no interior da área axadrezada evitou o golo com o peito e nos segundos seguintes - enquanto os gaienses pediam falta e os árbitros “perdidos” na interpretação do lance - Zé, dominou a bola e de uma área a outra fazia o quarto golo.


Parecia tudo decidido… mas só parecia.

Dois minutos depois . a um do final – o Jaca reduz e dúvida regressa.  


O Boavista tem um livre de dez metros a quatro segundos do final e não marca, a resposta do Jaca é imediata, lançando o último ataque que  o Boavista corta e … o tempo de jogo, conclui-se.


A arbitragem dividida em dois. De um lado, Pedro Soares, com actuação normal. Do outro lado, um colega que não nasceu para isto e quando não se sabe não se pode ser criticado, porque é tempo perdido. 
Mesmo sem saber apitar, podia ter-se imposto e assim, não teria permitido que o jogo aquecesse tanto.

Mas a quem não sabe, não se pode criticar.





O técnico axadrezado, João Silva, mostrava-se cansado mas satisfeito com o desempenho dos seus jogadores.


Vitória difícil, mas certa?

Foi um jogo muito emotivo, que nós sempre o considerávamos como uma final pela sua importância para as duas equipas, adversárias directas. A emoção tomou o lugar da razão e isso, causou alguma falta de concentração e obrigou a falhar muitas oportunidades para matar o jogo.

Mas merecemos ganhar e ganhamos os três pontos porque fomos a melhor equipa. Agora estamos prontos para a próxima final.