Texto principal

TERMINADA MAIS UMA ÉPOCA DESPORTIVA, DESEJAMOS A TODOS ATLETAS E SEUS FAMILIARES UMAS BOAS E MERECIDAS FÉRIAS, DA NOSSA PARTE CONTINUAREMOS O TRABALHO PREPARANDO A NOVA ÉPOCA DE 2019/2020. BOAS FÉRIAS


sábado, 16 de fevereiro de 2013

ANDEBOL - DIOGO COELHO EM ENTREVISTA


Diogo Coelho,  foi desde sempre, uma  das maiores promessas do andebol axadrezado. Com idade de Juvenil, faz parte do escalão de Juniores e sente-se feliz com esse facto, por assegurar a sua evolução técnica.

Vamos começar pelo aspecto individual. Este ano é o tua primeira época  na equipa júnior?
Sim é verdade, embora pertença ao escalão de Juvenil, este ano integrei a equipa de Juniores.

Mas jogas nos dois escalões em simultâneo?
Não. Para já estou exclusivamente nos juniores. Os juvenis vão entrar numa fase muito importante e aí talvez vá dar uma ajuda à minha equipa base.

Como te estás a sentir nesta situação?
Não me podia estar a sentir melhor, embora os meus colegas sejam mais velhos, que eu, formam um grupo de trabalho fantástico e por isso a minha integração foi fácil.

Consideras-te já integrado no plantel?
Absolutamente integrado. Formamos um grande grupo e somos um grupo de amigos, que vai continuar a trabalhar para alcançar os nossos objectivos.

Esta integração num escalão superior, garante-te a evolução?
É sempre um sonho de qualquer jogador, jogar no campeonato Nacional da primeira divisão e isso tem sido possível, com esta subida de escalão, considero-me feliz por jogar no principal campeonato de juniores.  Para mim é muito positivo, sempre evoluímos ao jogar contra equipas de grande nível e individualmente, acabamos sempre por evoluir. O que se aprende nesta divisão é impossível aprender noutro lado.

Quando defrontas jogadores que têm muito mais condições de trabalho que vocês e já com rotinas de primeiro escalão. O que sentes?
Nesses jogos é que nós sentimos as diferenças, mas que apostamos e atingimos os nossos limites, considero muito positivo essa situação. 
Pessoalmente, considero-me um jogador sem limites que pode estar ao nível desses jogadores. Quando terminam esses jogos, saímos deles com uma vontade maior de trabalho e são esses jogos que nos fazem crescer. Jogar com jogadores de selecção, é gratificante porque nos faz jogar para os igualar e atingir esse nível.

Falemos do colectivo. Como está a correr a época?
O campeonato não era esperado como fácil, esperávamos e apostávamos no meio da tabela, infelizmente não estamos a conseguir, estamos a lutar pela manutenção, ocupamos o décimo quarto lugar com um ponto de vantagem sobre a zona de descida. É difícil conseguirmos mais (agora) da época que não seja lutar pela manutenção, trabalhando com vontade na concretização desse objectivo. Temos que vencer o maior número de jogos possíveis. Sinto que que temos obrigação de vencer dois jogos, em que somos favoritos e tentar vencer algum outro com equipas mais fortes.

Quantos jogos faltam?
Cerca de sete ou oito.

O resultado do Alavarium, foi inesperado?
Foi mau, porque eles não tinham vitórias, se calhar fomos com excesso de confiança e acabamos surpreendidos por uma equipa que queria vencer. Estavam há quinze jogos sem vencer, entraram com tudo e com o factor casa a ajudar, acabaram por nos surpreender, pela vantagem de dois golos.

Mas continuas a acreditar na manutenção?
Sim, porque vejo a equipa a evoluir e a crescer, num escalão fortíssimo a jogar contra atletas que jogam nos seniores das suas equipas e conseguem rotinas que ainda não possuímos, mas acredito que vamos conseguir. Temos que trabalhar muito e bem, sem desanimarmos.

Como a vossa base é muito jovem seria mais uma vantagem individualmente, conseguirem manter-se na primeira divisão?
Realmente, o nosso plantel é muito jovem, estamos a jogar com quatro juvenis, o que é muito positivo, e com outros atletas de primeiro ano de juniores, o que garante um futuro muito promissor, ao contrário das outras equipas. Noto evolução em mim, mas também a verifico nos meus colegas. Assim, seria formidável para todos continuarmos no primeiro escalão.

Se descessem… para ti seria um retrocesso individual?
Sim, claro que seria. Já não teria nada a ver com a realidade actual. Claro que se os Juvenis subirem apara a primeira isso seria bastante positiva, mas disputar a segunda divisão de juniores, não seria nada positivo, não só para mim. A segunda divisão, nada tem a ver com este escalão, seria retroceder.

Estás esperançado no êxito?
Estou e para isso trabalhamos todos os dias para o conseguir.

A nível de selecção. Chegar lá é um sonho?
É um sonho de todos os jogadores. Eu já consegui o objectivo de chegar aos trabalhos da selecção regional, na qual treino todas as semanas e, vamos ver, agora em Abril, qual será a convocatória para a selecção nacional, mas o importante, neste momento é estar concentrado nos objectivos do clube