Texto principal

TERMINADA MAIS UMA ÉPOCA DESPORTIVA, DESEJAMOS A TODOS ATLETAS E SEUS FAMILIARES UMAS BOAS E MERECIDAS FÉRIAS, DA NOSSA PARTE CONTINUAREMOS O TRABALHO PREPARANDO A NOVA ÉPOCA DE 2019/2020. BOAS FÉRIAS


sexta-feira, 23 de novembro de 2012

ARTIGO DE OPINIÃO - DIA ATRIBULADO NO BESSA. QUE CONSEQUÊNCIAS?


Foi um dia agitado no Bessa, que começou com uma notícia (esperada, porque já há muito era do conhecimento público)… o regresso de Álvaro Braga à presidência da SAD do Boavista.

No entanto, não ficou por aqui a agitação. 
Inesperada e surpreendentemente  a massa adepta da pantera, foi informada por comunicado oficial da renúncia (foi disso que se tratou) do Presidente da Direcção, Manuel Maio.

Como sou uma pessoa, que há muito deixei de acreditar em coincidências, dei comigo a divagar sobre alguns pontos, deste dia atribulado.

Várias questões me chamaram a atenção.
O MOTIVO DA RENÚNCIA
SAÚDE?
·         Desde logo, a própria renúncia do Presidente, que deverá  ficar para a história do clube como o presidente que menos tempo ocupou o lugar para o qual foi eleito.
·        Alega-se no comunicado do Clube, que os motivos da demissão, foram de aconselhamento médico. Habitualmente para as razões  para a presentação de uma demissão, são “por motivos de saúde… por motivos particulares, ou motivos profissionais”. O que equivale em dizer que se demitiu porque “SIM”.
·         O Senhor Manuel Maio, quando se candidatou ao cargo de Presidente do Boavista, tinha a consciência do cargo que ira ocupar e desde logo, das responsabilidades que esse cargo lhe traria. Ao “fugir” no primeiro temporal que encontrou, ficou mal na foto que permanecerá na história axadrezada.
·         Esperarei com a devida atenção para verificar se a demissão do Clube é acompanhada pela demissão do cargo autárquico que ocupa. Se tal acontecer, serei o primeiro a apresentar as minhas desculpas, o oposto levar-me-á a pensar que  o Boavista acabou (uma vez mais) por não ser respeitado como deveria ter sido. Obviamente, se está doente para um cargo… estará para os dois. Aguardemos por essa resposta.

DISCORDÂNCIA?
·         Como (já) citei anteriormente, era por demais conhecido o regresso do ex-presidente. A notícia da preparação pública para tal acção, ia sendo transmitida pelos habituais órgãos de comunicação “não oficial” até se encontrar o momento certo para a oficialização. Já toda a gente sabia desse regresso!
·         Manuel Maio, concordou ou opôs-se a tal regresso?
   Essa é uma questão pertinente, porque habitualmente se comentava e antevia  “junto da pantera” o facto de no futuro – após o cumprimento do mandato autárquico - o Presidente do Clube vir a acumular a presidência da SAD.
·         Talvez este regresso (inesperado ou imposto) tenha originado o “agravamento” da situação clínica.

CONCORDÂNCIA?
·         Numa situação e posição contrária – isto é, se Manuel Maio conhecia e determinou esse regresso – a situação torna contornos de gravidade Estatutária e (quiçá) legal. Se não, analisemos…
·         O presidente da SAD é profissional e como tal, remunerado  tendo para esse efeito de realizar um contrato de trabalho com a Instituição.
·         Ao apresentar a demissão – se já estava planeada – Manuel Maio, sabia que ia provocar eleições no Clube, que é maioritário na SAD, tendo todo o direito, o futuro presidente eleito, de nomear um Presidente para SAD ou ocupar ele mesmo, o lugar, acumulando as duas presidências.
·         Daí, os dados  se apresentarem  viciados de antemão!
·    O futuro presidente do Clube, a eleger pelos associados, encontrará um dos seus direitos Estatutários cortados, pois verá a SAD com a presidência ocupada. Como pode proceder?
·       Aceitar esse presidente  - com quem pode  basicamente discordar , por não se coadunar com o projecto a impor.
·         Ou demitir o mesmo.
·         Neste caso (demissão) Álvaro Braga, terá todo o direito a ser indemnizado, pelo não cumprimento do “possível” contrato assinado de boa fé com a anterior direcção…

Resumindo todo este imbróglio. Manuel Maio, nomeou Álvaro Braga para a SAD, antes da sua saída, ou a nomeação foi realizada posteriormente?

Estas duas situações, nomeação e aconselhamento médico, a acontecer, como aconteceram, no mesmo dia… são uma grande coincidência! Mas, repito, eu não sou crente em coincidências… daí,  acreditar que tudo estava planeado.

Não sei o que acontecerá nos tempos mais próximas, mas sei o que aconteceu hoje!
Mais uma vez o nome do Boavista vai correr o mundo e por razões nada favoráveis para a sua credibilidade.

Para terminar, esta “confusão” que se criou na minha cabeça, vou fazê-lo de forma positiva. 
Como sou homem das Amadoras, fico esperançado que o próximo Presidente veja as modalidades (que são o verdadeiro Boavista Futebol Clube) com outro olhar! Com Manuel Maio as Modalidades foram simplesmente abandonadas.

Por nossa parte (Amadoras) desejamos muitas felicidades e uma grande recuperação de saúde ao Senhor ex-presidente e afirmamos sem qualquer temor, que  temos a consciência tranquila…

Não foram as Amadoras as causadoras desta situação clínica, nisso estamos certos. 

Sobre o futuro, vamos aguardar calmos… porque pior situação (para as Amadoras) dificilmente poderá acontecer.

Mesmo nos dias atribulados, acontece algo de positivo!




Manuel Pina