Texto principal

ESTA ÉPOCA, O BOAVISTA FUTEBOL CLUBE CONTINUARÁ A PARTICIPAR EM VÁRIAS MODALIDADES A NÍVEL NACIONAL, COM OS OBJECTIVOS DE HONRAR O NOME DESTE CLUBE. O ANDEBOL SÉNIOR E VOLEIBOL FEMININO, DISPUTAM O PRIMEIRO ESCALÃO NACIONAL... OUTRAS MODALIDADES LUTAM PELO REGRESSO A ESSE ESCALÃO.


sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

BOXE - VÍTOR CARVALHO, A ENTREVISTA COM O TRICAMPEÃO NACIONAL



 "Acho que estou no clube certo com as pessoas certas..."

Vítor Carvalho, sagrou-se no passado fim de semana Campeão Nacional de Boxe na categoria de 64 kg, no escalão sénior. Juntando este título aos anteriormente conquistados de Campeão Nacional no escalão de Juniores.
Assim, é tricampeão Nacional de Boxe.

Quando te iniciaste no boxe?

Ando no boxe deste pequeno, mas a nível competitivo comecei há quatro anos.

Sempre no Boavista?

Não. Comecei no Ramaldense. Depois abandonei a modalidade e quando resolvi regressar ao Boxe vim, então, para o Boavista Futebol Clube e iniciei a minha participação na competição.

Três perguntas numa. Porquê o Boxe, porque desististe e porque regressaste?

Em primeiro lugar porque o Boxe é um desporto com o qual me identifico imenso e que tenho a certeza me faz bem. Desisti, porque somos miúdos temos alguns sonhos e eu ingressei no futebol, porque acreditei ser o meu sonho, mas por pouco tempo.
Regressei, porque vi que o meu amor era o Boxe e porque senti falta dele.

A nível de títulos?

Considero-me Tricampeão Nacional, porque junto ao título nacional de seniores que conquistei este ano, aos dois títulos nacionais que tinha conquistado nos dois anos anteriores. Igualmente me sinto como tricampeão Regional, pelas mesmas razões.

Chegas ao Boavista, no primeiro ano não competes e a partir desse é sempre a ganhar. Como aconteceu essa evolução?

Graças ao trabalho que faço com os meus treinadores e pela grande qualidade que têm e ensinar. Juntando a competência deles, com a minha vontade e entrega nos treinos, os resultados apareceram. Acho que estou no clube certo com as pessoas certas e tenho a minha ambição pessoal.


O que sente um jovem, tricampeão nacional de Boxe?

Em Portugal isso não é considerado grande feito, mas claro que me sinto muito bem e com  muito orgulho acima de tudo

Três anos com títulos não aumentam a pressão quando vais combater?

Tenho consciência que não se ganha sempre, mas quando entro no ringue não me lembro se tenho ou não títulos conquistados.

Este título foi conquistado a combater com que adversário?

O meu adversário era um atleta do Arena de Faro e eu sempre me senti bem. Consegui fazer o que queria e tudo me correu bem.

Quantos treinos fazes por semana?

Treino todos os dias excepto ao domingo que aproveito para descansar. Treino uns dias cerca de duas horas e outros dias cerca de uma hora e pouco.


Quem são os teus treinadores?

São o Senhor Carlos Caldas e o André Silva.

Quando participas numa competição não oficial, sentes que és olhado de outra forma? O campeão tem uma carga especial?

Sinceramente acho que sim. É lógico que sendo tricampeões, não queremos perder porque sentimos que muitas pessoas nos observam de outra forma que o vulgar pugilista. Sem em que torneio for e seja qual for a competição.

Sentes orgulhoso de te reconhecerem na rua como pugilista do Boavista?

Ainda não cheguei a esse ponto. Existem amigos jovens que sabem isso e tenho que dizer que sim. Sinto orgulho em ser reconhecido.

Não tens um pouco de vaidade no que tens conseguido?

Um campeão é sempre humilde. Mas também temos que nos valorizar um pouco. Se não nos valorizarmos nunca iremos atingir um patamar que está ao nosso alcance. Tenho que valorizar o que consegui até aqui, para poder ir mais longe.

Um título recompensa todo o empenhamento num ano de treinos?

Óbvio que sim. Quero estender esta minha alegria aos meus familiares e aos meus treinadores. Sem eles não ia a lado algum.