Texto principal

TERMINADA MAIS UMA ÉPOCA DESPORTIVA, DESEJAMOS A TODOS ATLETAS E SEUS FAMILIARES UMAS BOAS E MERECIDAS FÉRIAS, DA NOSSA PARTE CONTINUAREMOS O TRABALHO PREPARANDO A NOVA ÉPOCA DE 2019/2020. BOAS FÉRIAS


quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

A ENTREVISTA DA SEMANA - BU GOMES, A ATLETA SÉNIOR DE VOLEIBOL QUE ESTUDA DIREITO

Bunémia Gomes, foi uma das últimas aquisições para a equipa sénior do Voleibol axadrezado. Vamos conhecer melhor esta jovem Guineense, sempre pronta a responder e com um constante sorriso, é conhecida na modalidade como, Bu Gomes.


Quem é a Bu?
Sou natural de da Guiné-Bissau e neste momento, estudo em Portugal, na Universidade Lusíada no curso de Direito e jogo voleibol no Boavista.
Há quanto tempos estás em Portugal?
A cerca de nove anos.

Vamos falar um pouco do passado. Antes de ingressares no Boavista em que clubes jogaste?
A época passada, joguei no Ribeirense do Pico e anteriormente joguei no Múrcia em Espanha e também no Ala de Gondomar.

Como nasceu o gosto pela modalidade, foi cá ou já vem da Guiné?
Foi cá que ganhei este prazer de jogar Voleibol, à cerca de nove anos.

Como surgiu?
Comecei a jogar no desporto escolar, na minha escola de Aveiro. Depois passei para o CV Aveiro, onde fiz a minha formação. Posteriormente, mudei residência para o Porto e passei a jogar no Ala de Gondomar.

Durante estes anos de voleibol, tens algo que te marque pela positiva e que consideres significativo?
Fiz parte da selecção Nacional de Portugal, onde espero voltar.
Então já és cidade portuguesa?
Sim, tenho a nacionalidade portuguesa.

Falemos da tua aventura em Espanha. Jogaste como profissional?
Sim, em Espanha jogava exclusivamente voleibol e considerei esssa fase, uma aposta que quis experimentar, dedicando-me de forma  profissional ao jogo. Penso que é uma experiencia que todas as atletas desejam fazer, para conhecerem a realidade lá fora.

E que diferenças encontraste?
Em Espanha o trabalho é muito mais intenso e mais exigente. Eu, basicamente, só treinava e mesmo assim sentia que era muito exigente, claro que estamos a falar de trabalhos de uma equipa profissional.

Passemos a falar do Boavista. Como se dá o teu ingresso no Clube?
Foi através do Professor Nuno (treinador adjunto do Boavista) que aproveitou o conhecimento com algumas das minhas colegas da época passada e me convidou a ingressar no Bosvista.
Foi fácil?
Bem… a minha intenção era parar com  o voleibol por um tempo e dedicar-me exclusivamente aos estudos este ano. Mas o professor, acabou por me convencer e aqui estou com muito orgulho.

Pelo que vejo, consideras os estudos como prioridade?
Exactamente, os estudos são muito importantes e estão à frente de tudo. Preciso de tratar do meu futuro.

Neste momento, o Boavista conseguiu a desejada subida ao primeiro escalão. Como te sentes no clube?
Para já, muito bem! Mesmo estando fora do Boavista, reparei no esforço e na intenção da subida, durante as últimas épocas e fico contente, por o terem conseguido, depois de tanto terem batalhado por esse objectivo.

Foste alguma vez adversária do Boavista?
Uma vez. Em jogo da Taça de Portugal.

Como analisas a vossa participação na primeira divisão?
Eu considero muito boa. Para uma equipa estreante neste escalão, temos feito um campeonato sossegado e dentro daquilo que nos pode ser exigido.

Objectivos?
Acima e primeiro de tudo, manter o Clube na primeira divisão. Continuar a trabalhar como até aqui e dar o trabalho que temos dado, a outras equipas com maiores ambições, de momento, que nós.

Vais continuar no Boavista?
Vamos ver o que o futuro diz. Vou ver se é possível manter este equilíbrio entre estudo e treinos, ou se as exigências dos estudos o impedirão. De todo o modo, no momento, penso que irei conseguir conciliar as duas coisas e continuar no Boavista, se estiverem interessados na minha continuidade.

Como te analisas tecnicamente?
O meu ponto fraco é a recepção, sou jogadora de zona quatro, gosto de defender e penso que o meu ponto mais forte é o serviço.

Entrevista de 
Manuel Pina