Texto principal

ESTA ÉPOCA, O BOAVISTA FUTEBOL CLUBE CONTINUARÁ A PARTICIPAR EM VÁRIAS MODALIDADES A NÍVEL NACIONAL, COM OS OBJECTIVOS DE HONRAR O NOME DESTE CLUBE. O ANDEBOL SÉNIOR E VOLEIBOL FEMININO, DISPUTAM O PRIMEIRO ESCALÃO NACIONAL... OUTRAS MODALIDADES LUTAM PELO REGRESSO A ESSE ESCALÃO.


quarta-feira, 15 de abril de 2009

MANUEL CAMPOS EM ENTREVISTA! (PARTE)

Passamos em seguida uma (parte) da grande entrevista que Manuel Campos concedeu à Rádio Boavista em conjunto com o Blog das Amadoras.
Brevemente informaremos os dias em que poderão escutar a entrevista na sua totalidade.

Manuel Campos é o mais conceituado atleta do Boavista pertencente à elite Mundial da Ginástica Artística.

Uma lesão roubou-lhe a possibilidade de estar presente em Pequim. Muita gente pensou que ia abandonar a alta competição mas tal não aconteceu. A que se ficou a dever esta reconsideração?
Não, nunca pensei em abandonar. Eu sempre tive vontade de continuar a fazer ginástica e neste momento não pretendo desistir e aliás, estou longe disso. O que resolvi nessa altura foi passar a pensar a minha carreira ano a ano. Equacionei desta forma e penso que é psicologicamente melhor para gerir a carreira e o futuro. Já não sou nenhum benjamim na ginástica pois tenho vinte e sete anos e tenho que gerir os treinos a pensar na gestão da minha carreira.
O que pensa fazer depois da ginástica?
Penso ser treinador de ginástica, ser professor e por isso também vou fazendo a gestão da carreira com esse objectivo.
Há quanto tempo está na ginástica?
Como atleta estou há vinte anos, comecei com sete anos. Na alta competição, não sei precisar, mas devo ter começado pelos dez anos, terei por isso cerca de quinze/dezasseis anos de alta competição.
Tem outra actividade para além do atleta?
Tenho. Neste momento treino miúdos com cerca de seis sete anos. Terminei o meu curso de licenciatura em Desporto e Educação Física e estou neste momento a tirar o mestrado que penso acabar este ano.
Com tanto que fazer não acontece de quando em vez uma certa saturação?
Não acontece a saturação porque eu sou uma pessoa que adora a competição. Eu gosto é de estar nas grandes competições de campeonatos da Europa e do Mundo, de competir com os melhores atletas mundiais e tentar ser melhores que eles.
Lemos no Jornal A Bola que precisa de tratamentos de choque para competir. O que pensa sobre esse tratamento?
Penso que é preciso para competir e isso não me custa. O que me custa é sofrer tanto durante os treinos, com as lesões que me incomodam muito.
Como é feita a selecção para os jogos olímpicos ou mundial?
Na ginástica não contam os resultados durante a época, mas somente uma prova de apuramento, tudo se joga nessa prova.
É necessário um grande auto-controle para aguentar a pressão nesse dia...
Sim, por isso alguma vezes grandes atletas ficam eliminados e têm valor para estarem nas finais. Foi o que me aconteceu no último apuramento onde tive um dia mau, no qual falhei alguns aparelhos e me tirou dos Jogos Olimpicos
O que acha necessário para Portugal evoluir na ginástica?
Penso que temos boas condições de treino, mas deveríamos ter todo o apoio logístico necessário no mesmo local de treino, o que não acontece em Portugal.
Quando sobe nas paralelas, quase ao céu e vem já em descida o que pensa um atleta? Tem medo de falhar, quando um erro de um centímetro pode ser a morte de um artista?
Não podemos pensar nessa altura! Tenho que fazer as coisas o mais automaticamente possível. A única vez que pensei... falhei. O que penso é tentar fazer o melhor possível na competição e depois de começar o exercício é sempre a seguir... sem pensar.
Quem sofre mais: o espectador ou o ginasta?
Eu já estive dos dois lados e digo que se sofre mais na bancada. Eu lá dentro sinto-me bem. Para além daquele nervosismo normal, eu sei que controlo o que faço e por isso estou bem.
Quando se tem uma queda compromete-se tudo. O que sente um atleta? Como consegue ter força para continuar?
É frustrante porque é um elemento que dominamos completamente e que naquele momento falhamos, quando o fazemos diversas vezes na perfeição.
O poeta diz que vale sempre a pena quando a alma não é pequena. Para um homem de alma enorme pergunto. Valeu a pena esta dedicação?
Sim, a ginástica é uma paixão e eu como professor tento incutir nos meus alunos o prazer pela competição. Para atingirmos um certo valor temos que trabalhar muito, temos que nos aperfeiçoar e nos superar.
Vamos terminar?
Quero agradecer a oportunidade que me deram e dar os parabéns a este blog pela divulgação das Amadoras do Boavista. Não só a ginástica, mas todas as suas modalidades.
O que pensa da actual situação do Boavista Futebol Clube?
O Clube não pode morrer! O clube tem cento e cinco anos e é um clube conhecido por todos, mesmo no estrangeiro. Quando vou competir no estrangeiro todos sabem que eu sou do Boavista. Para mim é um orgulho pertencer a este grande Clube desde o inicio da minha carreira.
Eu tenho muito orgulho de ser do Boavista.

Nota: A entrevista tem mais de trinta minutos e seria impossível reproduzi-la na totalidade. Por este motivo informaremos o dias e horário em que será passada na rádio Boavista.
Ao vivo é outra coisa... acreditem!